maio 29, 2024

Atibaia Connection

Encontre todos os artigos mais recentes e assista a programas de TV, reportagens e podcasts relacionados ao Brasil

O Citibank teve como alvo os armênios-americanos e os tratou como criminosos, alega o regulador dos EUA

O Citibank teve como alvo os armênios-americanos e os tratou como criminosos, alega o regulador dos EUA

David Paul Morris/Bloomberg/Getty Images

O Citibank aplicou padrões mais rígidos aos pedidos de supostos armênio-americanos, incluindo “rejeitá-los completamente”, bloquear contas e exigir informações adicionais, de acordo com o CFPB.


Nova Iorque
CNN

Um regulador federal alegou na quarta-feira que o Citibank discriminou ilegalmente os armênio-americanos durante anos, destacando-os em solicitações de cartão de crédito com base em seus sobrenomes.

O Consumer Financial Protection Bureau descobriu que de 2015 até pelo menos 2021, Cidade ‘alvo’ Solicitantes de cartão de crédito para serviços de varejo cujos funcionários sejam de origem armênia.

O CFPB alegou que “o Citi tratou os armênio-americanos como criminosos com probabilidade de cometer fraudes”.

O Citi aplicou padrões mais rígidos aos pedidos de supostos armênios-americanos, incluindo “rejeitá-los totalmente”, proibir contas e exigir informações adicionais, de acordo com o regulador.

O CFPB disse que o Citi tinha como alvo candidatos cujos sobrenomes terminam em “-ian” e “-yan”, bem como candidatos em Glendale, Califórnia, e arredores, que abriga uma grande população armênio-americana.

Os organizadores pintaram um quadro de esforços coordenados do Citi para esconder alegada discriminação, inclusive através de alegada falsificação de documentos.

O Citi é um importante emissor de cartões de crédito para lojas, incluindo cartões de varejo para Home Depot, Best Buy e outras redes.

Para punir o Citi pela alegada discriminação, o CFPB ordenou que o banco pagasse 25,9 milhões de dólares em multas e restituições aos consumidores. Estas sanções incluem uma multa de 24,5 milhões de dólares ao Fundo de Ajuda às Vítimas do CFPB.

“Infelizmente, numa tentativa de impedir uma bem documentada rede de fraude arménia que operava em certas partes da Califórnia, um pequeno número de funcionários tomou medidas inadmissíveis”, disse Karen Kearns, porta-voz do Citi, num comunicado à CNN. “Embora priorizemos a proteção do nosso banco e dos nossos clientes contra fraudes, é inaceitável que baseemos as nossas decisões de crédito na origem nacional.”

READ  Elon Musk pode fazer os números do Twitter funcionarem?

O porta-voz do Citi acrescentou que, após uma investigação interna, o banco tomou “medidas apropriadas” contra os envolvidos e impôs medidas para evitar que isto acontecesse novamente. “Protocolos de detecção de fraude”, disse um porta-voz do Citi.

De acordo com o CFPB, os supervisores municipais “conspiraram para ocultar a discriminação”, dizendo aos funcionários para não discutirem estas práticas por escrito ou através de linhas telefónicas registadas.

O banco então “escondeu” a discriminação mentindo aos consumidores, dando-lhes “falsas razões” para recusar o crédito, disse o CFPB.

“O Citi estereotipou os arménios como vulneráveis ​​ao crime e à fraude”, disse o diretor do CFPB, Rohit Chopra, num comunicado. “O Citi falsificou documentos ilegalmente para encobrir a sua discriminação.”

sob Lei de Oportunidades Iguais de Créditoé ilegal negar intencionalmente crédito a grupos de pessoas com base na origem nacional.

A senadora Elizabeth Warren, crítica frequente dos grandes bancos, condenou o Citibank na quarta-feira.

“A discriminação intencional do Citibank contra os arménios-americanos é ilegal, ultrajante e completamente errada”, disse Warren, um democrata de Massachusetts, à CNN num comunicado. “O CFPB está certo em responsabilizar o banco.”

Dennis Kelleher, executivo-chefe do grupo de defesa da reforma financeira Better Markets, descreveu as acusações contra o Citi como “surpreendentes” e questionou se a punição se adequava ao crime.

“Este valor da multa não tem sentido para o Citi”, disse Kelleher à CNN, observando que equivale a pouco mais de 0,1% da receita do banco no terceiro trimestre, de US$ 20 bilhões. “Os banqueiros individuais, incluindo executivos e supervisores, deveriam ser punidos pessoalmente com multas pesadas e proibidos de trabalhar no setor.”

Durante uma ligação com repórteres na quarta-feira, Chopra disse que as pessoas afetadas acreditam que serão tratadas de forma justa pelos bancos.

READ  O vírus Covid atingiu a economia chinesa com mais força do que o esperado

“Muitos arménios chegaram aos Estados Unidos por causa das oportunidades, mas também por causa dos perigos físicos na sua terra natal”, disse Chopra, observando que a Arménia pertencia à União Soviética antes do seu colapso. “Aqueles que imigraram para os Estados Unidos não deveriam estar sujeitos a discriminação ilegal com base na sua origem nacional.”

O CFPB observou que o Citi tem um histórico de violação recente das leis de proteção financeira do consumidor. Pagou US$ 335 milhões em 2018 a 1,75 milhão de titulares de cartão de crédito ao consumidor por supostamente violarem a Lei da Verdade nos Empréstimos. Em 2015, o Citi Pagou aproximadamente US$ 750 milhões Devido a “práticas enganosas e injustas” associadas ao aumento de taxas para clientes de cartão de crédito.

“Estou preocupado com os problemas de longo prazo do City no que diz respeito à gestão das suas extensas linhas de negócios”, disse Chopra. “O público concedeu grandes resgates ao Citi devido aos fracassos da sua administração anterior. É injusto que os consumidores continuem a pagar o preço.”

Anthony Barsamian, co-presidente da Associação Armênia da América, classificou a alegada discriminação por parte de Siti como “absolutamente ultrajante”.

“Estou absolutamente apavorado”, disse Barsamian à CNN em entrevista por telefone.

Basamian, advogado fiduciário e imobiliário em Massachusetts, disse que é cliente do Citibank há 20 anos e mantém o dinheiro dos clientes no banco. Agora, Barsamian disse que está “definitivamente” considerando encerrar seu relacionamento comercial com o City.

A CEO do Citi, Jane Fraser, deve testemunhar perante o Congresso em 6 de dezembro como parte do Comitê Bancário do Senado. Audiência de supervisão sobre grandes bancos.

READ  O comércio de IA está de volta à medida que aumenta a confiança nas grandes empresas de tecnologia