junho 26, 2022

Atibaia Connection

Encontre todos os artigos mais recentes e assista a programas de TV, reportagens e podcasts relacionados ao Brasil

Foguetes atingem perto de Odessa, na Ucrânia, enquanto uma nova tentativa de evacuação é planejada em Mariupol

Foguetes atingem perto de Odessa, na Ucrânia, enquanto uma nova tentativa de evacuação é planejada em Mariupol
  • Foguetes caem perto do porto de Odessa
  • Nova tentativa de evacuação planejada em Mariupol sitiada
  • Rússia diz que esboço de acordo não está pronto para negociações de alto nível
  • Negociador ucraniano sugere negociações entre Zelensky e Putin
  • Civis mortos nas ruas da cidade recapturada perto de Kiev

Odessa/Lviv, Ucrânia, 3 de abril (Reuters) – (Nota do editor: linguagem ofensiva no parágrafo 21)

Mísseis atingiram perto do porto de Odessa, no sul da Ucrânia, neste domingo, e a Rússia disse que destruiu uma refinaria de petróleo usada pelos militares ucranianos, enquanto as tentativas de evacuar pessoas da cidade devastada de Mariupol devem continuar.

Houve poucos sinais de avanço nos esforços para negociar o fim da guerra de cinco semanas, embora o principal negociador da Rússia tenha dito que as negociações devem ser retomadas na segunda-feira.

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

E em Odessa, o conselho da cidade disse que “instalações de infraestrutura crítica” foram atingidas por mísseis. Não houve relatos de feridos.

O Ministério da Defesa russo disse que seus ataques militares destruíram uma refinaria de petróleo e três instalações de armazenamento de combustível perto de Odessa. Acrescentou que as instalações foram usadas para abastecer as forças ucranianas perto da cidade de Mykolaiv.

Odessa, localizada no Mar Negro, é a principal base da Marinha ucraniana. Ele foi alvo de forças russas que buscavam uma passagem por terra para a Transnístria, a província separatista da Moldávia, de língua russa, que abriga forças russas.

“A fumaça é visível em algumas áreas da cidade. Todos os sistemas e estruturas relevantes estão funcionando… Nenhuma vítima foi relatada”, disse Vladislav Nazarov, oficial do Comando de Operações do Sul da Ucrânia, ao Telegram.

Dmytro Lunin, governador da região central de Poltava, disse que a refinaria de petróleo Kremenchug, 350 km a nordeste de Odessa, foi destruída em um ataque de mísseis separado no sábado. Consulte Mais informação

READ  Fiji impõe sanções ao superiate oligarca russo de US$ 325 milhões

Os esforços de evacuação continuariam em Mariupol e nas proximidades de Berdyansk, ambas na costa sul da Ucrânia, com um comboio de ônibus sendo preparado para a operação com a ajuda da Cruz Vermelha.

“Sete ônibus tentarão se aproximar de Mariupol, acompanhados pelo Comitê Internacional da Cruz Vermelha”, disse a vice-primeira-ministra ucraniana, Irina Vereshuk, em um vídeo online.

O CICV abandonou suas tentativas anteriores por motivos de segurança. A Rússia culpou o CICV pelo atraso. Consulte Mais informação

Mariupol é o principal alvo da Rússia na região de Donbass, no sudeste da Ucrânia, e dezenas de milhares de civis estão presos com difícil acesso a comida e água. Consulte Mais informação

Paz fala

O negociador-chefe da Rússia, Vladimir Medinsky, disse que o esboço do acordo não está pronto para qualquer reunião entre o presidente russo Vladimir Putin e o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky. Consulte Mais informação

No sábado, o negociador ucraniano David Arachhamiya aumentou a esperança de negociações com a Rússia, dizendo que houve progresso suficiente para conversas diretas entre os dois países.

Medinsky disse que, embora a Ucrânia esteja mostrando mais realismo ao concordar em ser neutra, desistir de armas nucleares, não se juntar a um bloco militar e se recusar a abrigar bases militares, não houve progresso em outras demandas importantes da Rússia.

“Repito várias vezes: a posição da Rússia sobre a Crimeia e o Donbass permanece inalterada”, disse ele via Telegram, acrescentando que as conversas em vídeo continuarão na segunda-feira.

A Rússia anexou a Crimeia da Ucrânia em 2014 e reconheceu as declarações de independência das autoproclamadas repúblicas de Luhansk e Donetsk na região de Donbass, no leste da Ucrânia, que se revoltaram contra o governo de Kiev.

destruir a boca

A Ucrânia disse no sábado que suas forças retomaram todas as áreas ao redor de Kiev, reivindicando o controle total da região da capital pela primeira vez desde que a Rússia lançou sua invasão em 24 de fevereiro.

A Rússia retirou suas forças que ameaçavam Kiev do norte para se reagrupar para travar batalhas no leste da Ucrânia.

Não houve comentários russos sobre a alegação de que a região de Kiev estava inteiramente nas mãos da Ucrânia, o que a Reuters não pôde verificar imediatamente.

O prefeito de Bucha, uma cidade libertada a 37 quilômetros a noroeste da capital, disse que 300 moradores foram mortos durante a ocupação militar russa de um mês, com vítimas vistas em uma vala comum e ainda deitadas nas ruas. . Consulte Mais informação

“Bastardos!” Vasily, um homem de 66 anos, chorou furiosamente ao olhar para mais de uma dúzia de corpos na estrada do lado de fora de sua casa. “Desculpe. O tanque atrás de mim estava atirando. Cães!”

O Kremlin e o Ministério da Defesa russo em Moscou não responderam imediatamente aos pedidos de comentários quando perguntados no sábado sobre os corpos encontrados em Bucha.

Moscou nega atacar civis e rejeita alegações de crimes de guerra.

Entre os mortos perto de Kiev estava Maxim Levin, um fotógrafo e cinegrafista ucraniano que trabalhava para um site de notícias e era colaborador de longa data da Reuters. Consulte Mais informação

A secretária de Relações Exteriores britânica, Liz Truss, disse estar chocada com as atrocidades em Bucha e expressou apoio à investigação do Tribunal Penal Internacional sobre possíveis crimes de guerra.

READ  Imagens de satélite mostram que os ucranianos frustraram uma tentativa russa em direção a Kiev em uma ponte flutuante

O serviço de emergência da Ucrânia disse que mais de 1.500 explosivos foram encontrados em um dia durante uma operação de busca na vila de Dmitrievka, a oeste da capital.

“Eles estão cavando em todas essas terras. Casas são minadas, equipamentos são garimpados, até mesmo os corpos dos mortos”, alertou Zelensky em um vídeo. Ele não citou as provas. Consulte Mais informação

O Ministério da Defesa russo não respondeu a um pedido de comentário sobre as alegações sobre as minas. A Reuters não pôde verificá-lo de forma independente.

Desde o lançamento do que Putin chama de “operação militar especial” para desarmar e “desarmar” a Ucrânia, a Rússia não conseguiu capturar uma única grande cidade e, em vez disso, impôs um bloqueio urbano, desarraigando um quarto da população do país.

A inteligência militar britânica disse que as forças navais russas estavam sitiando os mares Negro e Azov, mas que a opção de um desembarque anfíbio se tornou cada vez mais repleta de riscos para a Rússia.

Ele disse que as minas relatadas, cuja proveniência permanece incerta e contestada, representam um sério risco para o transporte marítimo no Mar Negro.

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

Reportagem adicional de Simon Gardner, Zahra Bensemra e Abdelaziz Boumzar em Bucha, Ucrânia Natalia Zinets em Mukachevo, Ucrânia, Alessandra Prentice e Jay Faulconbridge em Londres, escritórios da Reuters. Edição por Stephen Coates, William Mallard e Frances Kerry

Nossos critérios: Princípios de Confiança da Thomson Reuters.