junho 30, 2022

Atibaia Connection

Encontre todos os artigos mais recentes e assista a programas de TV, reportagens e podcasts relacionados ao Brasil

Afeganistão enterra mortos após escavação de sobreviventes de terremoto catastrófico

KAYAN, Afeganistão (AP) – Aldeões correram para enterrar os mortos na quinta-feira em busca de sobreviventes de um forte terremoto no leste do Afeganistão, matando pelo menos 1.000 pessoas, informou a mídia estatal. O Talibã e a comunidade internacional lutaram para ajudar as vítimas do desastre ao se retirarem de sua aquisição.

Homens cavaram sepulturas em uma vila enquanto tentavam descansar os mortos rapidamente, de acordo com a tradição muçulmana, sob os céus de chumbo na província de Bhaktika, epicentro do terremoto de 6 magnitudes de quarta-feira. Em um quintal, os corpos foram cobertos com plástico para protegê-los da chuva, o que poderia dificultar os esforços de socorro aos vivos.

A agência de notícias estatal Bhaktar relatou o número de mortos e cerca de 1.500 pessoas ficaram feridas. Na primeira contagem independente, o Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários disse que cerca de 770 pessoas foram mortas em Bhaktika e na província vizinha de Ghost.

Considerando as dificuldades de acesso e comunicação com as aldeias afetadas presas nas colinas remotas, não está claro como o valor total veio a ser. As autoridades continuam a alertar que em duas décadas isso criará um terremoto devastador no Afeganistão e o número pode aumentar ainda mais.

“Eles não têm nada para comer, estão se perguntando o que podem comer e está chovendo”, disse um repórter devoto em imagens do terremoto. “Suas casas foram destruídas. Por favor, ajude-os, não os deixe sozinhos.

A catástrofe está se agravando ainda mais em um país onde milhões de pessoas já enfrentam crescente fome e pobreza O sistema de saúde está em desordem desde que o Talibã retomou o poder há quase 10 meses, em meio a expulsões dos EUA e da OTAN..

READ  Bombeiro da Filadélfia morre em prédio desabado; Mais 5 foram resgatados

Como pode a comunidade humanitária internacional, que retirou recursos significativos do país, prestar assistência e permitir que o governo talibã o questione até que ponto. A aquisição do Taleban levou à suspensão de grandes financiamentos internacionais, e a maioria dos governos teme lidar diretamente com eles.

Miniatura do vídeo do Youtube

Conselho de Segurança da ONU pede fim imediato das hostilidades no Afeganistão Agências e outras organizações disseram que enviaram suprimentos para a área, incluindo equipamentos médicos, barracas e lonas plásticas, mas a demanda parecia grande, pois vilarejos inteiros sofreram danos maciços.

“Pedimos ao Emirado Islâmico e a todo o país que se apresentem e nos ajudem”, o sobrevivente chamou seu nome de Hakimullah. “Não somos nada, nada, nem mesmo uma barraca para morar.”

Busca e resgate eram uma prioridade. No distrito de Kayan severamente afetado, a maioria das ruínas era tão grande que as pessoas não podiam se mover com as mãos ou pás. Eles disseram que esperavam que as grandes escavadeiras construíssem suas casas distantes. Atualmente, havia apenas uma escavadeira na área.

Na quarta-feira, a ONU. Uma autoridade disse que o principal líder do Taleban, Haibatullah Akundzada, não pediu ao órgão mundial que mobilizasse equipes internacionais de busca e resgate ou obtivesse equipamentos de países vizinhos, apesar de um raro pedido de ajuda.

As agências da ONU estão enfrentando um déficit de US$ 3 bilhões para o Afeganistão este ano, e Peter Kessler, porta-voz do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), disse que haverá decisões difíceis sobre quem ajudar.

Além das preocupações políticas e financeiras, também havia desafios logísticos na obtenção de ajuda para aldeias remotas. Estradas em ruínas e difíceis de navegar em boas condições podem ser gravemente danificadas por terremotos, e alguns dos deslizamentos de terra causados ​​pelas chuvas recentes não podem ser feitos. Apesar de estar a apenas 175 quilômetros ao sul da capital Cabul, algumas aldeias do distrito de Cayan fizeram uma caminhada de um dia inteiro.

READ  ONU diz que Shirin Abu Agle foi morto em tiroteio israelense

Equipes de resgate correram de helicóptero – e jornalistas da Associated Press também viram ambulâncias na zona do terremoto na quinta-feira -, mas o equipamento pesado pode ser difícil de entregar.

O terremoto derrubou as paredes e telhados de dezenas de casas em Kayan, e os moradores disseram que famílias inteiras foram soterradas sob os escombros. Jornalistas da Associated Press contaram cerca de 50 corpos só na área, com pessoas colocando seus cadáveres na frente de suas casas e nos pátios.

Enquanto edifícios modernos podem suportar terremotos de até 6 magnitudes em outros lugares, casas de tijolos de barro semelhantes a terremotos e montanhas propensas a deslizamentos de terra no Afeganistão são as mais perigosas. Terremotos rasos também causam mais danos, e especialistas estimam a profundidade de quarta-feira de apenas 10 quilômetros (6 milhas).

Apesar dos desafios, funcionários de várias agências da ONU disseram que o Talibã concederia acesso total à área.

O porta-voz do Taleban Jabihullah Mujahid escreveu no Twitter que oito caminhões de alimentos e outras necessidades chegaram ao Paquistão vindos do Paquistão. Ele disse na quinta-feira que dois aviões de ajuda humanitária chegaram ao país do Irã e outro do Catar.

Mais assistência internacional direta pode ser mais difícil de obter: muitos países, incluindo os Estados Unidos, estão prestando assistência humanitária ao Afeganistão por meio das Nações Unidas e de outras agências para evitar que dinheiro seja colocado nas mãos do Talibã.

Em um boletim de notícias na quinta-feira, a televisão estatal afegã divulgou um ponto reconhecendo que o presidente dos EUA, Joe Biden – seu antigo inimigo – havia condoído o terremoto e prometido ajudar. A Casa Branca disse em comunicado na quarta-feira que Biden instruiu a Agência de Cooperação Internacional dos EUA e seus parceiros a “avaliar” as opções para ajudar as vítimas.

READ  2021-22 All-NBA Teams: Nicola Jogic, Giannis Antedocounbo Headline First Team, Joel Embiet formou o segundo time

O número de mortos pela devastação foi equivalente ao terremoto de 2002 no norte do Afeganistão – depois de 1998, um terremoto de magnitude 6,1 e um terremoto no Extremo Nordeste mataram pelo menos 4.500 pessoas.

O epicentro foi relatado abaixo do fundo do Oceano Pacífico, no entanto; nenhum alerta de tsunami foi emitido.

No distrito de Spere, na província costeira, também sofreu danos graves, com homens parados onde antes era uma casa de barro. O terremoto rasgou os troncos das árvores. As pessoas sentavam-se do lado de fora sob uma tenda improvisada feita de cobertores à prova de vento.

Os sobreviventes rapidamente se prepararam para enterrar os mortos no distrito, incluindo crianças e um bebê. As autoridades temem que mais vítimas sejam encontradas nos próximos dias.

“O número de desastres nas comunidades locais… é catastrófico, e o impacto do terremoto na já extensa resposta humanitária no Afeganistão é preocupante”, disse Adnan Junaid, vice-presidente da Ásia. Equipe Internacional de Resgate. “As áreas mais afetadas são as áreas mais pobres e remotas do Afeganistão, que carecem dessa infraestrutura catastrófica”.

___

Os escritores da Associated Press John Campbell em Dubai, Rahim Faiz e Munir Ahmed nos Emirados Árabes Unidos e Islamabad contribuíram para o relatório.