junho 30, 2022

Atibaia Connection

Encontre todos os artigos mais recentes e assista a programas de TV, reportagens e podcasts relacionados ao Brasil

Turquia adverte contra o trânsito de navios de guerra de seu estreito Notícias da crise russo-ucraniana

Turquia adverte contra o trânsito de navios de guerra de seu estreito  Notícias da crise russo-ucraniana

Ancara diz que está implementando o acordo de 1936 sobre a passagem marítima entre o Mediterrâneo e o Mar Negro em tempos de guerra.

O ministro das Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Cavusoglu, disse que seu país alertou a comunidade internacional contra o trânsito de navios de guerra pelo estreito do país desde o início da guerra entre a Rússia e a Ucrânia.

No domingo, ele disse que Ancara estava implementando um acordo internacional sobre passagem marítima para o Mar Negro. Sob a Convenção de Montreux de 1936, a Turquia controla os estreitos de Dardanelos e Bósforo que conectam o Mediterrâneo e o Mar Negro e podem restringir a passagem de navios de guerra durante a guerra ou em caso de ameaça.

Cavusoglu disse, em declarações divulgadas pela agência estatal Anadolu, que a Turquia até agora não recebeu nenhum pedido de nenhum país para navios de guerra cruzarem o Estreito da Turquia desde o início da guerra russo-ucraniana na semana passada.

Kiev pediu a Ancara na semana passada que ative o acordo internacional e impeça a travessia de navios de guerra russos do Mediterrâneo para o Mar Negro.

O Bósforo e os Dardanelos conectam o Mar Egeu (parte do Mediterrâneo), Mármara (o mar interior da Turquia) e o Mar Negro, de onde a Rússia lançou uma incursão na costa sul da Ucrânia.

O acordo de 1936 dá a Ancara o direito de impedir que navios de guerra usem os Dardanelos e o Bósforo durante a guerra e em caso de ameaças à Turquia.

(Al Jazeera)

“Nós alertamos os dois países da região e de outros lugares para não cruzarem navios de guerra pelo Mar Negro”, disse Cavusoglu. “Estamos implementando a Convenção de Montreux.”

Pelo menos seis navios de guerra russos e um submarino teriam atravessado o estreito turco este mês.

READ  opinião | A vitória de Doug Ford em Ontário deve ser um alerta contra a inação

O anúncio de Cavusoglu veio logo após o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, anunciar no mesmo dia que seu governo usaria “a autoridade concedida ao nosso país pela Convenção de Montreux sobre a passagem marítima no estreito de uma maneira que evite a escalada da crise”.

Ele reiterou que a Turquia não abandonará suas relações com a Rússia ou a Ucrânia.

Ele disse: “Não vamos desistir de nossos interesses nacionais, mas não vamos ignorar os equilíbrios regionais e globais. Dizemos que não vamos abandonar nem a Ucrânia nem a Rússia.”

A Turquia, membro da Otan, procurou equilibrar seus compromissos ocidentais com seus laços estreitos com Moscou, e até domingo não havia descrito a situação na Ucrânia como uma guerra.

Erdogan disse na segunda-feira que considera o ataque da Rússia ao território ucraniano inaceitável e pediu negociações de boa fé de todos os lados.