junho 18, 2024

Atibaia Connection

Encontre todos os artigos mais recentes e assista a programas de TV, reportagens e podcasts relacionados ao Brasil

Se a crise Ucrânia-Rússia se agravar, a inflação pode subir para 10%

Para nós Inchaço Já está em seu nível mais alto em quatro décadas. Está ficando pior Ucrânia-A crise na Rússia pode empurrá-lo ainda mais.

De acordo com o economista-chefe da RSM, Joe Brussels, o conflito ameaça elevar os preços do petróleo acima de US$ 100 o barril pela primeira vez desde 2014. Os preços do petróleo subiram para uma alta histórica de oito na terça-feira, depois que o petróleo Brent atingiu US $ 97,63 em todo o mundo, seguindo a ordem das tropas de Moscou para duas áreas divisórias no leste da Ucrânia.

Atualizações ao vivo: O mundo está reagindo quando Putin ordena tropas para a Ucrânia

Uma guerra na Europa – que muitos especialistas em política externa dizem ser uma possibilidade real – pode colocar os preços do petróleo entre 20% e US$ 120 o barril, estima Bruxelas. Se isso acontecer, os preços ao consumidor nos Estados Unidos aumentarão mais de 10% em relação ao ano anterior, o maior desde outubro de 1981, disse o economista.

Fumaça sai de uma usina de energia após um bombardeio fora da cidade de Shastia, perto da cidade de Luhansk, no leste da Ucrânia, em 22 de fevereiro de 2022. (Getty Images / Getty Images por Aris Messinis / AFP)

“Se a Rússia invadir a Ucrânia, o potencial de um choque energético mais amplo para as economias global e norte-americana se soma à mistura inflamável de fatores que aceleram a inflação nos Estados Unidos e no exterior”, disse Bruxelas. “Esse risco tem o potencial de desacelerar o crescimento.”

READ  Ações da Nike e da Foot Locker caem devido à fraca perspectiva de vendas

A Rússia é o segundo maior produtor mundial de petróleo e gás natural; Uma colisão ou bloqueio desestabilizará ainda mais o mercado de petróleo em um momento em que a alta demanda é maior do que a oferta restrita. A Organização dos Países Exportadores de Petróleo e outros países produtores de petróleo, conhecidos como OPEP +, se opuseram a pedidos para aumentar a oferta.

A Alemanha já suspendeu a certificação do gasoduto Nord Stream 2 da Rússia, enquanto os Estados Unidos e a União Europeia impuseram sanções potenciais contra Moscou em meio a relatos de bombardeios contínuos no leste da Ucrânia. O presidente Biden prometeu que os Estados Unidos e seus aliados “responderão decisivamente” e imporão custos rápidos e severos à Rússia no caso de uma invasão, embora não esteja claro como eles serão.

Autoridades dos EUA e da Europa temem que a Rússia possa retaliar suspendendo o fornecimento de petróleo e gás natural de Moscou para a Europa, e os preços estão subindo.

Vladimir Putin

O presidente russo, Vladimir Putin, fala em uma cúpula do G20 em Moscou, Rússia, em 30 de outubro de 2021, por videoconferência. (Evgeniy Paulin, Sputnik, Kremlin Pool Photo via AP / AP Newsroom)

Economistas do JPMorgan Chase alertaram que a Rússia poderia enviar petróleo “facilmente” por US$ 120 o barril se houver alguma interrupção no fornecimento.

Os consumidores dos EUA já estão enfrentando choques de etiqueta na bomba: de acordo com a AAA, custa em média US$ 3,51 o galão de gasolina em todo o país na terça-feira – acima dos US$ 2,63 de um ano atrás. Na Califórnia, os preços da gasolina estão acima de US$ 4 o galão.

Permissão para a Rússia após o reconhecimento de Putin de províncias rebeldes na Ucrânia

READ  11 feridos em explosão em hotel em Fort Worth

Durante meses, os preços da gasolina, diesel, gás natural, petróleo e muitos outros combustíveis têm sido a principal força motriz por trás da desaceleração. Inchaço, que subiu 7,5% em janeiro, o nível mais alto desde 1982. Os custos de energia aumentaram 27% no ano passado, em parte devido à menor oferta e menor demanda. Os consumidores viajam mais, mas o lado da oferta não atende à demanda.

A crise europeia aumentou esta semana quando o presidente russo, Vladimir Putin, aprovou uma legislação que permite o envio de tropas para duas regiões separatistas na Ucrânia. A Rússia acumulou 150.000 soldados nos três lados da Ucrânia, e Biden alertou repetidamente que Putin decidiu invadir o país.

Biden e Putin concordaram temporariamente em realizar uma cúpula bilateral depois que o presidente francês Emmanuel Macron fechou um acordo em um último esforço para evitar a guerra.