junho 29, 2022

Atibaia Connection

Encontre todos os artigos mais recentes e assista a programas de TV, reportagens e podcasts relacionados ao Brasil

Rússia diz à Lituânia: seus cidadãos sentirão dor em Kaliningrado

Rússia diz à Lituânia: seus cidadãos sentirão dor em Kaliningrado
  • Rússia alerta Lituânia sobre Kaliningrado
  • Rússia convoca embaixador da União Europeia
  • A União Europeia diz à Rússia: abster-se de ‘passos de escalada’
  • Lituânia: É irônico ouvir a Rússia reclamar da lei

LONDRES (Reuters) – Um importante aliado do presidente Vladimir Putin disse à Lituânia nesta terça-feira que Moscou responderá a uma proibição de trânsito imposta pela União Europeia na região russa de Kaliningrado de uma forma que deixe os cidadãos do país báltico mais confortáveis. Ele vai sentir dor.

Com as relações entre Moscou e o Ocidente em seu nível mais baixo em meio século devido à invasão da Ucrânia pela Rússia em 24 de fevereiro, a Lituânia proibiu o trânsito de mercadorias impostas pela UE através de seu território de e para os remansos, citando as regras de sanções da UE.

Nikolai Patrushev, ex-espião da KGB e agora secretário do Conselho de Segurança da Rússia, disse que as ações “hostis” da Lituânia mostram que a Rússia não pode confiar no Ocidente, que, segundo ele, violou acordos escritos sobre Kaliningrado.

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

“A Rússia certamente responderá a tais hostilidades”, disse Patrushev, citado pela agência de notícias RIA.

“As medidas apropriadas estão sendo elaboradas em um formato interdepartamental e serão tomadas em um futuro próximo”, disse ele. “Suas consequências terão um sério impacto negativo na população da Lituânia.”

A Lituânia, membro da Otan e da União Européia, disse que estava simplesmente aplicando as sanções acordadas da UE à Rússia, acrescentando que era “paradoxal” ouvir as queixas de Moscou sobre sua guerra na Ucrânia.

“Sem cerco”

“É irônico ouvir sobre supostas violações de tratados internacionais de um país que provavelmente violou todos os tratados internacionais”, disse a primeira-ministra lituana, Ingrida Simonet, a repórteres.

READ  Fiji impõe sanções ao superiate oligarca russo de US$ 325 milhões

“Não há cerco a Kaliningrado”, disse Simonet. A Lituânia aplica sanções da UE.”

Kaliningrado, anteriormente o porto de Koenigsberg, a capital da Prússia Oriental, foi capturada pelo Exército Vermelho da Alemanha nazista em abril de 1945 e cedida à União Soviética após a Segunda Guerra Mundial. Está imprensado entre os membros da OTAN, Polônia e Lituânia.

Depois que Putin ordenou a invasão da Ucrânia, os Estados Unidos e seus aliados impuseram algumas das sanções mais duras da história moderna, um movimento que o Kremlin descreveu como semelhante a declarar guerra econômica.

O Ministério das Relações Exteriores da Rússia convocou o embaixador da União Europeia em Moscou, Markus Eder, para apresentar uma queixa formal. Consulte Mais informação

“Exigimos a restauração imediata da travessia normal de Kaliningrado. Caso contrário, medidas de retaliação se seguirão”, acrescentou.

Um porta-voz da UE disse que Eder pediu à Rússia que se abstenha de “medidas e retóricas crescentes” sobre a situação.

“Ele transmitiu nossa posição sobre a agressão russa contra a Ucrânia e deixou claro que a Lituânia está implementando sanções da UE e não há bloqueio, e exigiu que se abstenha de medidas e retóricas de escalada”, disse o porta-voz Peter Stano em Bruxelas.

Moscou descreve suas ações na Ucrânia como uma “operação especial” para desarmar a Ucrânia e protegê-la dos fascistas. Kyiv e seus apoiadores ocidentais dizem que esta é uma desculpa falsa para lançar uma guerra de agressão injustificada.

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

Escrito por Guy Faulconbridge. Edição por Nick McPhee e Gareth Jones

Nossos critérios: Princípios de Confiança da Thomson Reuters.