maio 23, 2022

Atibaia Connection

Encontre todos os artigos mais recentes e assista a programas de TV, reportagens e podcasts relacionados ao Brasil

Primeira-ministra dinamarquesa promete mais armas enquanto ela e a primeira-ministra espanhola visitam Kiev

Primeira-ministra dinamarquesa promete mais armas enquanto ela e a primeira-ministra espanhola visitam Kiev

O primeiro-ministro espanhol Pedro Sanchez e a primeira-ministra dinamarquesa Mette Frederiksen posam para uma foto com a vice-primeira-ministra ucraniana Olha Stefanichina durante sua visita a Kiev, Ucrânia, em 21 de abril de 2022. Moncloa/Borja Puig de la Bellacasa/Divulgação via REUTERS

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

COPENHAGUE/MADRI (Reuters) – A primeira-ministra da Dinamarca prometeu nesta quinta-feira enviar mais armas para a Ucrânia durante uma viagem a Kiev, onde ela e seu colega espanhol Pedro Sanchez se encontrarão com o presidente Volodymyr Zelensky em um gesto de apoio.

Mitt Frederiksen também visitou a cidade seriamente danificada de Borodinka, que foi retomada após a retirada das forças russas da área ao redor de Kiev. Consulte Mais informação

“Pretendemos entregar mais armas à Ucrânia porque é isso que é mais necessário”, disse Frederiksen ao canal dinamarquês TV2 enquanto caminhava pela cidade cercada por soldados armados.

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

Frederiksen e seu colega espanhol Pedro Sanchez chegaram a Kiev na manhã de quinta-feira, de acordo com um vídeo postado na conta de Sanchez no Twitter.

O gabinete de Frederiksen disse que as conversas com Zelensky se concentrarão em mais apoio aos ucranianos e na acusação de “crimes de guerra e violações dos direitos humanos”.

A Rússia descreve sua ação como uma “operação militar especial” para desmilitarizar a Ucrânia e eliminar o que chama de nacionalistas perigosos. O Ocidente e Kiev acusam o presidente russo, Vladimir Putin, de travar uma guerra de agressão injustificada.

Muitos líderes europeus viajaram para a Ucrânia desde a invasão russa para mostrar apoio ao seu presidente e ao povo, especialmente desde que a Rússia retirou suas forças do norte da Ucrânia.

(Reportagem de Inti Landauro e Stine Jacobsen); Edição por Raisa Kasulowski, Toby Chopra e Kevin Levy

Nossos critérios: Princípios de Confiança da Thomson Reuters.