dezembro 8, 2023

Atibaia Connection

Encontre todos os artigos mais recentes e assista a programas de TV, reportagens e podcasts relacionados ao Brasil

Os Estados Unidos, a União Europeia e o Reino Unido impõem sanções ao Banco Central da Rússia e proíbem o Swift

Os Estados Unidos, a União Europeia e o Reino Unido impõem sanções ao Banco Central da Rússia e proíbem o Swift

Washington (AFP) – Os Estados Unidos, a União Europeia e o Reino Unido concordaram neste sábado em impor duras sanções ao setor financeiro da Rússia, incluindo a proibição de seu acesso ao sistema financeiro global e, pela primeira vez, restrições ao setor financeiro central da Rússia. banco em retaliação pela invasão da Ucrânia.

Essas medidas foram anunciadas conjuntamente como parte de uma nova rodada de sanções financeiras destinadas a “responsabilizar a Rússia e garantir coletivamente que esta guerra seja um fracasso estratégico do (presidente russo Vladimir) Putin”. As restrições do banco central visam os mais de US$ 600 bilhões em reservas à disposição do Kremlin, que visam limitar a capacidade da Rússia de sustentar o rublo em meio ao aperto das sanções ocidentais.

Cumulativamente, as medidas anunciadas pelo Ocidente desde o início da invasão podem representar algumas das sanções mais severas impostas a qualquer nação nos tempos modernos e, se implementadas inteiramente como planejado, prejudicariam gravemente a economia russa e reduziriam significativamente sua capacidade de importação e exportação de mercadorias.

Autoridades norte-americanas disseram que as medidas de sábado têm como objetivo colocar o rublo em “queda livre” e aumentar a inflação na economia russa. Eles observaram que as sanções anunciadas anteriormente já estavam causando impacto na Rússia, com sua moeda atingindo seu nível mais baixo em relação ao dólar da história e dando ao mercado de ações sua pior semana de todos os tempos.

A queda do rublo provavelmente fará com que a inflação suba, o que prejudicará os russos e não apenas as elites russas que foram alvo das sanções originais. Seria uma enorme amplitude de dor econômica.

A medida de sábado inclui a exclusão dos principais bancos russos do sistema de mensagens financeiras SWIFT, que movimenta bilhões de dólares diariamente em mais de 11.000 bancos e outras instituições financeiras em todo o mundo. Autoridades disseram que os termos exatos das sanções ainda estão sendo resolvidos no fim de semana, pois trabalham para limitar o impacto das restrições em outras economias e compras europeias de energia russa.

READ  Inundações devastadoras na Itália matam pelo menos 13 pessoas e destroem casas e fazendas

Aliados de ambos os lados do Atlântico também consideraram a opção SWIFT em 2014, quando a Rússia invadiu e anexou a península da Crimeia na Ucrânia e apoiou forças separatistas no leste da Ucrânia. A Rússia então declarou que removê-lo do sistema Swift equivaleria a declarar guerra. Mas os Aliados – que foram criticados por sua resposta muito fraca à agressão da Rússia em 2014 – mantiveram a ideia. Desde então, a Rússia tentou desenvolver seu próprio sistema de transferência de dinheiro, com sucesso limitado.

Os Estados Unidos já haviam conseguido persuadir o regime belga de Swift a expulsar um país – o Irã, por causa de seu programa nuclear. Mas a expulsão da Rússia da SWIFT também pode prejudicar outras economias, incluindo as dos Estados Unidos e sua principal aliada, a Alemanha.

A desconexão com o SWIFT anunciada pelo Ocidente no sábado é parcial, deixando espaço para a Europa e os Estados Unidos aumentarem ainda mais as sanções mais tarde.

Ao anunciar as medidas em Bruxelas, a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, disse que pressionaria o bloco a “paralisar os ativos do Banco Central da Rússia” até que suas transações fossem congeladas. Ela acrescentou que cortar muitos bancos comerciais do SWIFT “garantirá que esses bancos sejam desconectados do sistema financeiro internacional e prejudicarão sua capacidade de operar globalmente”.

“Cortar os bancos os impedirá de realizar a maioria de suas transações financeiras em todo o mundo e impedirá efetivamente as exportações e importações russas”, acrescentou. “Putin partiu em um caminho que visa destruir a Ucrânia, mas o que ele também está fazendo, na verdade, está destruindo o futuro de seu país.”

A adesão da União Europeia para impor sanções à Rússia através do sistema SWIFT foi um processo difícil, uma vez que o comércio da UE com a Rússia ascendeu a 80 mil milhões de euros, cerca de 10 vezes o dos Estados Unidos, que foi um dos primeiros proponentes de tais medidas.

READ  Alemanha e Polônia buscam a causa das mortes em massa de peixes no rio Oder

A Alemanha rejeitou especificamente essa medida porque poderia atingi-los com força. Mas a Secretária de Estado Annalena Barbock disse em um comunicado: “Após o vergonhoso ataque russo… estamos trabalhando duro para limitar os danos colaterais para separar (Rússia) do SWIFT para que ele infecte as pessoas certas. restrições do SWIFT.”

Como outra medida, os aliados anunciaram o compromisso de “tomar medidas para coibir a venda de cidadania – os chamados passaportes dourados – que permitem que russos ricos ligados ao governo russo se tornem cidadãos de nossos países e tenham acesso a nossos sistemas financeiros”.

O grupo também anunciou a formação de uma força-tarefa transatlântica nesta semana para garantir que essas e outras sanções à Rússia sejam efetivamente implementadas por meio de compartilhamento de informações e congelamento de ativos.

“Essas novas sanções, que incluem a remoção de vários bancos russos do sistema SWIFT e sancionar o Banco Central da Rússia, provavelmente causarão danos significativos à economia russa e seu sistema bancário”, disse Clay Lowry, vice-presidente executivo do Instituto de Relações Internacionais. Finança. “Embora ainda estejam surgindo detalhes sobre como as novas sanções afetarão a energia, sabemos que as sanções contra seu banco central tornarão difícil para a Rússia exportar energia e outros bens.”

Mesmo sem uma proibição total do SWIFT, “essas medidas ainda seriam dolorosas para a economia russa. Elas reforçam as medidas já tomadas no início desta semana, tornando as transações mais complexas e difíceis”, disse Rachel Zimba, pesquisadora sênior do Center for a New Segurança Americana.

Zimba diz que quanta dor as sanções estão causando à economia russa dependerá de quais bancos são restringidos e quais medidas são tomadas para restringir a capacidade de operação do banco central.

READ  Flutuando o petroleiro depois que quebrou no Canal de Suez egípcio

“Independentemente disso, esse tipo de escalada de sanções, a remoção de bancos do sistema SWIFT, a restrição do banco central, tudo isso dificultará a obtenção de mercadorias da Rússia e aumentará a pressão no mercado financeiro.”

Enquanto isso, a Embaixada dos EUA na Rússia está alertando os americanos sobre vários relatos de cartões de crédito e débito não russos sendo recusados ​​na Rússia. A embaixada dos EUA disse em um tweet na noite de sábado que o problema parecia estar relacionado às recentes sanções impostas aos bancos russos após a invasão russa da Ucrânia. A embaixada diz que os cidadãos americanos na Rússia devem estar preparados com meios alternativos de pagamento caso os cartões sejam recusados. Ele também lembrou aos cidadãos dos EUA que o Departamento de Estado desaconselha todas as viagens à Rússia.

___

Cassert relatou de Bruxelas. Os escritores da Associated Press Frank Jordan, Ken Sweet e Fatima Hussein contribuíram para este relatório.