fevereiro 23, 2024

Atibaia Connection

Encontre todos os artigos mais recentes e assista a programas de TV, reportagens e podcasts relacionados ao Brasil

O ucraniano Zelensky e o indiano Modi se enfrentaram no Japão pela primeira vez desde a invasão russa.

O ucraniano Zelensky e o indiano Modi se enfrentaram no Japão pela primeira vez desde a invasão russa.



CNN

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, se encontrou com o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, na cúpula do Grupo dos Sete (G7) no Japão no sábado, o primeiro encontro cara a cara entre os dois desde o início da invasão russa.

Modi – que se recusou a condenar a invasão – disse que a Índia “fará tudo o que puder” para acabar com a guerra.

“A guerra na Ucrânia é um grande problema para o mundo inteiro”, disse ele. “Isso teve muitas consequências em todo o mundo. Mas não acho que seja apenas uma questão econômica ou política. Para mim, é uma questão humanitária.

De sua parte, Zelensky convidou Modi para se juntar aos esforços de paz da Ucrânia para acabar com a guerra contra a Rússia.

A visita pessoal de Zelensky ao G7, que não foi confirmada pelo país anfitrião Japão até a manhã de sábado – incluirá os estados membros Canadá, França, Alemanha, Itália, Japão, Reino Unido e Estados Unidos que já apoiam a Ucrânia – e imprensa para ajuda militar continuada.

Mas também dá a Zelenksy a oportunidade de obter apoio para a Ucrânia e sua visão de paz com os líderes de um punhado de outros países que participam da cúpula – alguns dos quais não se juntaram ao Ocidente na imposição de sanções contra a Rússia ou a Índia. Eles se recusaram a condenar a Rússia nas Nações Unidas.

A Índia tem sido historicamente um grande comprador de armas russas e tem laços de longa data com Moscou. Também aumentou as compras de energia russa – uma linha de vida econômica chave para o governo do presidente Vladimir Putin, uma fonte chave de receita à qual o Ocidente impõe extensas restrições.

READ  O estoque da Rivian está em declínio. O EV Maker falhou em todos os lugares.

Embora Nova Délhi tenha enviado ajuda humanitária à Ucrânia durante a guerra, ela se absteve das resoluções da ONU pedindo sua retirada e condenando sua invasão.

Analistas dizem que ganhar o apoio ou a compreensão de líderes como Modi pode ser a principal motivação de Zelensky para participar da cúpula do G7. Outros países participantes incluem Indonésia, Austrália, Brasil, Coréia e Vietnã.

No caso de Modi, laços mais estreitos com a Rússia provavelmente pressionarão Putin ou manterão sua economia funcionando.

No ano passado, quando se encontrou cara a cara com o líder russo durante a cúpula da Organização de Cooperação de Xangai no Uzbequistão em setembro, Modi falou com Putin sobre a necessidade de “seguir o caminho da paz”. O lado indiano – visto na época como um sinal de impaciência de Nova Delhi enquanto o conflito se arrastava.

Mas meses depois, o líder indiano, sem condenar abertamente o Kremlin nem pedir a retirada do território russo, estava determinado a agir com cuidado.

Modi falou com Zelensky por telefone várias vezes após a invasão da Rússia, mais recentemente em dezembro, quando o líder indiano reiterou seu pedido de “cessar-fogo” e “diálogo” para resolver o conflito.

O plano de paz de Zelensky, por outro lado, pede a restauração das fronteiras internacionalmente reconhecidas da Ucrânia e a retirada das tropas russas.

Líderes ocidentais criticaram os apelos por um cessar-fogo que não inclua a retirada das tropas russas, dizendo que eles ajudam Moscou a consolidar o território que anexou.

Zelensky também participou de uma cúpula da Liga Árabe na Arábia Saudita na sexta-feira, onde expressou simpatia pelos líderes da Arábia Saudita que estão “fechando os olhos” para a guerra na Ucrânia.

No G7, Zelensky planeja sentar-se com os líderes dos estados membros do G7, Canadá, França, Alemanha, Itália, Japão, Reino Unido e Estados Unidos, para uma grande sessão sobre paz e estabilidade. países, disse o Japão no sábado.

READ  Driggs du Plessis vence Sean Strickland por decisão dividida e conquista o título dos médios