março 2, 2024

Atibaia Connection

Encontre todos os artigos mais recentes e assista a programas de TV, reportagens e podcasts relacionados ao Brasil

O asteróide “Dark God” Apophis visitará a Terra em um raro sobrevôo – Earth.com

O asteróide “Dark God” Apophis visitará a Terra em um raro sobrevôo – Earth.com

Numa ousada extensão da sua missão, a nave espacial anteriormente conhecida como OSIRIS-REx embarca numa viagem sem precedentes para explorar o asteróide Apophis.

Este corpo celeste está programado para fazer uma volta histórica ao redor da Terra em 2029, um evento sem precedentes desde o início da história registrada.

A espaçonave, agora renomeada Osíris-Ápice (Origens, Interpretação Espectral, Identificação de Recursos e Segurança – Apophis Explorer), aproveita seu passado de sucesso para se aventurar em novos territórios cósmicos.

A jornada da OSIRIS-REx é simplesmente extraordinária. Depois de uma expedição de sete anos e 6,4 mil milhões de quilómetros, regressou à Terra com uma amostra do asteróide Bennu.

Este feito de setembro marcou o auge da exploração espacial. Com os seus instrumentos ainda em perfeitas condições e com um quarto do combustível restante, a decisão de reutilizar a nave espacial para uma nova missão foi uma progressão natural.

Decisão de explorar o asteróide Apophis

Apophis, um asteróide do tipo S composto de materiais de silicato e níquel-ferro, contrasta fortemente com o asteróide do tipo C, rico em carbono, Bennu.

Depois de considerar vários destinos potenciais, incluindo Vénus e vários cometas, a escolha do Apophis pela NASA foi motivada pela sua interessante proximidade com a Terra.

Em 13 de abril de 2029, o Apophis passará a 32.000 km da superfície da Terra, mais próximo do que alguns satélites e provavelmente visível a olho nu no Hemisfério Oriental.

Asteróides do tamanho do Apophis, com cerca de 340 metros de diâmetro, aproximam-se da Terra cerca de uma vez a cada 7.500 anos. Esta raridade representa uma oportunidade inestimável para exploração e compreensão científica.

Objetivos da missão do asteróide Apophis

Como Amy Simon, cientista de projetos de missão da NASA, explicou Centro de Voo Espacial GoddardOSIRIS-APEX pretende estudar o Apophis imediatamente após a sua aproximação à Terra.

READ  'Minha potência está realmente baixa': o rover Mars Insight da NASA se prepara para ser lançado do Planeta Vermelho | Marte

“O OSIRIS-APEX estudará o Apophis diretamente após esta passagem, permitindo-nos ver como a sua superfície muda ao interagir com a gravidade da Terra”, disse ele. Simão.

Isto permitirá aos cientistas monitorar quaisquer mudanças na superfície resultantes da interação gravitacional da Terra com o asteróide.

Além disso, Danny Mendoza Dellagiostina, investigador principal do OSIRIS-APEX na Universidade do Arizona em Tucson, destaca a importância desta abordagem próxima como uma experiência natural.

“A abordagem próxima é uma ótima experiência natural”, disse ele. Della Giustina. “Sabemos que as forças das marés e a acumulação de material de pilha de entulho são processos fundamentais que podem desempenhar um papel na formação de planetas. Podem dizer-nos como passámos dos detritos no início do sistema solar para planetas completos.”

Este evento poderá fornecer informações sobre as forças das marés e a acumulação de pilhas de cúmulos, processos fundamentais que podem ter desempenhado um papel na formação do planeta.

Cronograma da missão do asteróide Apophis

Apophis é um tópico importante na compreensão de asteróides potencialmente perigosos, a maioria dos quais são do tipo S como ele.

Os conhecimentos obtidos nesta missão serão críticos para a investigação de defesa planetária, uma prioridade máxima para a NASA. Em 2 de abril de 2029, o OSIRIS-APEX começará a gerar imagens do Apophis enquanto persegue o asteróide.

Telescópios terrestres também observarão Apophis, mas após o encontro próximo, o asteroide estará muito próximo do Sol para que telescópios ópticos terrestres possam observá-lo.

Isto coloca o OSIRIS-APEX numa posição única para detectar quaisquer alterações resultantes do encontro.

Estude Apófis de perto

Quando chegar em 13 de abril de 2029, o OSIRIS-APEX operará próximo ao asteroide por cerca de 18 meses. Sua missão inclui mapear a superfície, analisar sua composição química e realizar uma manobra ousada: mergulhar a 5 metros da superfície do Apophis para levantar rochas e poeira, revelando assim os materiais abaixo.

READ  DART está no caminho certo para colidir com um asteroide

Embora falte mais de cinco anos para a data do encontro, a viagem do OSIRIS-APEX inclui seis passagens próximas do Sol e três assistências gravitacionais, colocando-o no curso para Apophis.

As descobertas que estão por vir ainda estão para ser vistas, mas como disse Amy Simon de forma pungente, as realizações anteriores da missão em Bennu apenas aprofundaram a curiosidade e as questões da comunidade científica para o Apophis.

Em suma, a missão OSIRIS-APEX ao Apophis é uma continuação do legado do seu antecessor, mas também um passo para um mundo de novas possibilidades e descobertas. Fornece informações sobre os processos formativos do nosso sistema solar e avança a nossa compreensão da dinâmica dos asteróides e da defesa planetária.

Mais sobre OSIRIS-REx

Como mencionado acima, a missão OSIRIS-REx, um empreendimento ambicioso da NASA, representa um marco na exploração espacial e no estudo de asteróides.

Esta missão foi lançada em 8 de setembro de 2016, com o objetivo de alcançar o asteroide próximo da Terra Bennu, um corpo rico em carbono que os cientistas acreditam conter pistas sobre o início do sistema solar e as origens da vida.

Visão geral da missão e objetivos

OSIRIS-REx, que significa Origins, Spectral Interpretation, Resource Identification, Security-Regolith Explorer, partiu em uma jornada que durou milhões de quilômetros. Seu objetivo principal era coletar e devolver amostras da superfície de Bennu.

Esta missão foi de enorme importância científica, já que asteróides como Bennu são remanescentes da formação do sistema solar e provavelmente contêm compostos orgânicos e água.

Viagem ao asteroide Bennu

Após uma viagem de dois anos, a OSIRIS-REx chegou a Bennu em dezembro de 2018. A sonda passou então dois anos muito próxima do asteroide, mapeando a sua superfície com um detalhe sem precedentes e escolhendo o local mais adequado para recolher amostras.

READ  Dois minerais nunca antes vistos na Terra foram encontrados dentro de um meteorito de 17 toneladas

Esta fase envolveu manobras complexas e navegação precisa em torno do pequeno campo gravitacional do asteróide.

Coleção de exemplares históricos

Em outubro de 2020, a OSIRIS-REx fez história ao pousar com sucesso na superfície de Bennu e coletar amostras.

Um mecanismo de aquisição de amostras “Touch-And-Go” (TAG) permitiu que a espaçonave entrasse brevemente em contato com o asteróide e usasse uma explosão de gás nitrogênio para agitar o regolito (material da superfície), que foi então capturado na cabeça de amostragem.

Volte e pouse no chão

A OSIRIS-REx, com a sua preciosa carga útil, iniciou a sua viagem à Terra em maio de 2021. A equipa OSIRIS-REx da NASA alcançou então um grande feito na exploração espacial, devolvendo com sucesso uma cápsula contendo rochas e poeira do asteroide Bennu para a Terra.

A cápsula registrou sua entrada na Terra às 8h52 EDT de domingo, pousando precisamente em uma área pré-determinada no campo de testes e treinamento do Departamento de Defesa em Utah, perto de Salt Lake City.

Este evento marca a primeira vez que a NASA obteve amostras de um asteroide, fornecendo material inestimável para pesquisas que poderão revolucionar a nossa compreensão do sistema solar e dos primórdios da vida.

—–

Gostou do que li? Assine nosso boletim informativo para obter artigos envolventes, conteúdo exclusivo e atualizações mais recentes.

Visite-nos no EarthSnap, um aplicativo gratuito oferecido a você por Eric Ralls e Earth.com.

—–