abril 23, 2024

Atibaia Connection

Encontre todos os artigos mais recentes e assista a programas de TV, reportagens e podcasts relacionados ao Brasil

Guerra da Rússia na Ucrânia: atualizações ao vivo

Guerra da Rússia na Ucrânia: atualizações ao vivo
O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei V. Lavrov, em Bujumbura, Burundi, na terça-feira.crédito…Chandru Nitanga/AFP – Getty Images

Sergei V. Lavrov, ministro das Relações Exteriores da Rússia, chegou à Cidade do Cabo em meio a uma tempestade diplomática sobre se a África do Sul honrará o mandado de prisão do presidente russo, Vladimir Putin, emitido pelo Tribunal Penal Internacional.

Putin deve viajar para a África do Sul, membro do tribunal, em agosto para uma reunião de cúpula das nações do BRICS – Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul – com o mandado de prisão do tribunal suspenso por causa de sua visita. Seu ministro das Relações Exteriores, Sr. Lavrov, está na África do Sul esta semana para se preparar para essa reunião.

O caso provocou um debate público sobre a participação da África do Sul no tribunal, colocando os laços históricos do Congresso Nacional Africano com a Rússia contra os laços econômicos do país com os Estados Unidos e a Europa.

Lavrov era novo em uma viagem turbulenta pela África Oriental que incluiu reuniões com os líderes do Quênia, Burundi e Moçambique enquanto Moscou reforça o apoio a seus aliados na África. Espera-se que o Sr. Lavrov e seu homólogo sul-africano, Naledi Pandor, discutam o memorando do ICC. A África do Sul deve equilibrar suas obrigações com o tribunal encarregado de investigar crimes de guerra e as relações do país com a Rússia.

A presença esperada de Putin na reunião de agosto tornou-se uma questão política complicada para o presidente da África do Sul, Cyril Ramaphosa, e seu governo. O mandado internacional, que aponta para o papel de Putin no sequestro e deportação de crianças ucranianas, levou ao impeachment de Putin, um líder que desfruta de uma aura de impunidade.

READ  O Pentágono Spox fornece exemplos do que está em cima da mesa nas negociações da Rússia

O Ministério das Relações Exteriores da África do Sul disse esta semana que a cúpula seria protegida por imunidade diplomática. O ministério disse que essa imunidade “não é para indivíduos específicos”.

O Departamento de Relações Internacionais e Cooperação, uma divisão do Ministério das Relações Exteriores, disse em comunicado: “Essas imunidades não revogam nenhum mandado que possa ter sido emitido por qualquer tribunal internacional contra qualquer pessoa que compareceu à conferência”.

Ao mesmo tempo, o principal partido de oposição da África do Sul, a Aliança Democrática, solicitou ao Supremo Tribunal uma liminar sobre a obrigação da África do Sul de honrar a ordem do TPI. O partido espera que a ordem judicial não deixe nenhuma ambiguidade sobre se as autoridades sul-africanas são legalmente obrigadas a deter Putin e extraditá-lo para Haia. O partido também quer que um juiz esclareça o processo de prisão do atual presidente, disse Glennis Breytenbach, parlamentar do partido.

A Sra. Breitenbach disse que a precaução do tribunal “evitaria uma repetição da história de al-Bashir”. Em 2015, as autoridades sul-africanas não emitiram um mandado de prisão do Tribunal Penal Internacional e prenderam o ex-presidente sudanês Omar al-Bashir, que estava em Joanesburgo para uma reunião da União Africana. Um tribunal sul-africano determinou que o governo é legalmente obrigado a prender Al-Bashir horas depois de ele deixar o país.

O tribunal não marcou uma data para a audiência sobre a visita de Putin.

Os procedimentos legais esclarecem a confusão sobre a posição da África do Sul em relação à Rússia. Os Estados Unidos criticaram a África do Sul pelo aquecimento de suas relações com Moscou, enquanto Ramaphosa disse que seu país enfrenta uma enorme pressão para abandonar sua política de não-alinhamento diante da guerra da Rússia contra a Ucrânia.