O edital do Enem 2018 já está no ar e conta com algumas mudanças. Neste ano, os candidatos terão 30 minutos a mais para fazer a prova do segundo dia, ou seja, cinco horas e meia. Já no primeiro, serão cinco horas.  As inscrições poderão ser feitas entre os dias 7 e 18 de maio. As avaliações serão aplicadas em 4 e 11 de novembro.

Clique aqui e confira o edital.

Assim como foi realizado no ano passado, o Enem 2018 será aplicado em dois domingos consecutivos, e não mais em um só fim de semana.

A distribuição das provas permanece da mesma forma. No primeiro domingo, serão aplicadas as provas de Linguagens, Ciências Humanas e Redação, e no segundo domingo, os candidatos farão as provas de Matemática e Ciências da Natureza.

Se preparar com antecedência é uma grande vantagem, mas precisa de muita disciplina para não perder o foco. Na escola Gentila Guizzi Pinatti,na região de Votuporanga, alguns alunos já foram destaques na redação do Enem.

Para conquistar um bom resultado, as turmas do Ensino Médio eram incentivadas a entregar pelo menos uma redação por semana. Na época, a aluna Amanda D’Auricio deu a dica. “Eu entendi que não precisamos escrever de forma engessada. Cada um aprende qual é o seu jeito de produzir”, explicou.

Apresentação de seminários era outro exercício praticado entre os alunos. “Focando no vestibular, eu pedi que os professores exigissem redação dos alunos todas as semanas. A sala de leitura, com certeza, é outra grande aliada, já que o hábito da leitura ajuda bastante na hora de escrever”, afirma a docente Isabel Cristina.

Os candidatos não podem desistir na primeira dificuldade. É importante realizar os exercícios passados pelos professores em sala de aula, relembra a ex-aluna da rede, Amanda D’Auricio, que conseguiu nota de 820 pontos na redação do Enem. “Na escola, os meus professores sempre passavam exercícios, e é muito importante que a gente os faça. Muitas vezes a gente pensa que é muito difícil e acaba desistindo, mas não. Os professores passam esses exercícios com o intuito da gente buscar um conhecimento a mais do que é passado em sala de aula”, citou.

Os alunos podem criar fora da escola um plano de estudo eficiente como Agnaldo Oliveira. “As notícias dos jornais ajudam o participante a desenvolver um pensamento crítico sobre os temas e formar a própria opinião”, esclarece.

Fonte: www.educacao.sp.gov.br