julho 24, 2024

Atibaia Connection

Encontre todos os artigos mais recentes e assista a programas de TV, reportagens e podcasts relacionados ao Brasil

Coreia do Sul pede desculpas após lançamento de míssil em resposta ao acidente de teste do Norte | Coreia do Sul

Os militares sul-coreanos pediram desculpas depois que um míssil lançado durante a manobra de terça-feira falhou e caiu no chão, causando preocupação aos moradores próximos que pensavam estar sob ataque dos militares sul-coreanos. Coréia do Norteque realizou um teste de fogo de um míssil no início do dia.

Treinamento de tiro ao vivo, que inclui Coreia do Sul E os Estados Unidos, era para ser uma demonstração de força dos aliados, horas depois que a Coreia do Norte enviou um míssil de médio alcance sobre o norte do Japão.

Em vez disso, terminou em constrangimento quando um míssil balístico de curto alcance Hyumoo-2 caiu no chão dentro de uma base aérea perto da cidade portuária de Gangneung, na Coreia do Sul.

Embora o míssil não tenha explodido, o barulho e o fogo subsequentes levaram alguns moradores de Gangneung a acreditar que a Coreia do Norte lançou um ataque, segundo relatos da mídia. Não houve relatos de feridos.

Os militares sul-coreanos reconheceram o incidente horas depois que internautas postaram vídeos mostrando uma bola laranja de chamas emergindo de uma área que descreveram perto da Base Aérea de Gangneung.

Os militares disseram que estão investigando a causa do “voo anormal” do míssil sul-coreano – uma parte essencial das estratégias de ataque preventivo e de retaliação contra a Coreia do Norte.

O incidente ocorreu quando os militares sul-coreanos e norte-americanos lançaram uma enxurrada de mísseis no Mar do Leste – também conhecido como Mar do Japão – em resposta à Coreia do Norte lança míssil balístico sobre o Japão Pela primeira vez em cinco anos.

O país com armas nucleares lançou um míssil balístico de médio alcance que voou um recorde de 4.600 km (2.850 milhas) a uma altitude de 1.000 km, na mais provocativa exibição de armas em anos. Essa faixa coloca a região de Guam no Pacífico dos EUA, que abriga bases militares dos EUA, a uma curta distância.

READ  Narendra Modi presta juramento como primeiro-ministro da Índia

O míssil caiu no Oceano Pacífico, cerca de 3.200 km a leste do Japão.

O governo japonês emitiu um alerta pedindo aos moradores que se protegessem enquanto o míssil passava sobre Hokkaido e a província de Aomori, no extremo norte do país.

Os militares dos EUA e da Coreia do Sul lançaram dois mísseis balísticos de curto alcance ATACMS nas águas para “atacar com precisão um alvo hipotético”, disse o Estado-Maior Conjunto.

Afirmou em comunicado que os exercícios “demonstraram a capacidade e a vontade de neutralizar a fonte da provocação, mantendo uma postura de monitoramento constante”.

Na terça-feira, caças sul-coreanos e americanos realizaram exercícios para bombardear um alvo no Mar Amarelo.

O porta-voz do Conselho de Segurança Nacional dos EUA, John Kirby, disse à CNN que os exercícios visam “garantir que temos as capacidades militares prontas para responder às provocações do Norte, se for o caso”.

“Isso não deveria acontecer. Deixamos claro para o líder norte-coreano Kim Jong Un que estamos prontos para nos sentar sem pré-condições. Queremos ver a desnuclearização da península coreana”, disse ele.

“Ele não mostrou nenhuma inclinação para se mover nessa direção – e, francamente, ele está se movendo na direção oposta, continuando a fazer esses testes de mísseis, que violam as resoluções do Conselho de Segurança”.

O último lançamento de Pyongyang faz parte de um ano recorde de testes de armas contra sanções pelo regime isolado, que recentemente revisou suas leis para se declarar uma potência nuclear “irreversível”.

O presidente dos EUA, Joe Biden, e o primeiro-ministro japonês, Fumio Kishida, condenaram o último lançamento da Coreia do Norte “nos termos mais fortes”.

O presidente sul-coreano Yoon Seok-yeol chamou o lançamento de “provocação” e prometeu uma “resposta severa”.

READ  Harry e Meghan oferecem um ramo de oliveira à rainha em um simples encontro | Príncipe Harry

O teste de terça-feira foi o quinto lançamento de míssil de Pyongyang em 10 dias. A Coreia do Norte não comenta rotineiramente sobre seus testes de armas na mídia estatal.

Autoridades sul-coreanas e norte-americanas vêm alertando há meses que Kim está se preparando para outro teste nuclear, dizendo na semana passada que isso poderia acontecer logo após a China, principal aliada de Pyongyang, realizar um congresso do Partido Comunista em 16 de outubro.

A vice-presidente dos EUA, Kamala Harris, visitou Seul na semana passada e visitou a zona desmilitarizada fortemente fortificada que divide a península coreana, em uma viagem para destacar o compromisso de seu país em defender a Coreia do Sul.

Cerca de 28.500 soldados dos EUA estão estacionados na Coreia do Sul para ajudar a protegê-la do Norte.