maio 19, 2024

Atibaia Connection

Encontre todos os artigos mais recentes e assista a programas de TV, reportagens e podcasts relacionados ao Brasil

As remessas de iPhone da Apple caem 10% à medida que os rivais do Android aumentam

As remessas de iPhone da Apple caem 10% à medida que os rivais do Android aumentam

(Bloomberg) — As remessas de iPhone da Apple Inc. caíram 10% mais do que o esperado no trimestre de março, refletindo vendas fracas na China, apesar de uma recuperação na indústria mais ampla de smartphones.

Mais lidos da Bloomberg

A empresa vendeu 50,1 milhões de iPhones nos primeiros três meses, de acordo com números preliminares da IDC, ficando atrás da estimativa média dos analistas compilada pela Bloomberg de 51,7 milhões de unidades para o período.

A empresa com sede em Cupertino, Califórnia, tem lutado para manter as vendas no maior mercado mundial de smartphones desde que a última geração de iPhones foi lançada em setembro. O ressurgimento da Huawei Technologies Co., o aumento da concorrência doméstica e a proibição de Pequim de dispositivos estrangeiros no local de trabalho pesaram nas vendas.

Esta estagnação é particularmente evidente num contexto em que o mercado de telefonia móvel regista, em geral, o seu melhor crescimento em anos. Os fabricantes de smartphones venderam 289,4 milhões de telefones no período, representando um aumento de 7,8% em relação aos mínimos do ano passado, quando muitos fabricantes enfrentavam um excesso de dispositivos não vendidos. Samsung Eletrônica Co. 1 no trimestre de março, enquanto a marca Transsion, focada no orçamento, aumentou suas remessas em 85% e a Xiaomi Corp se recuperou para diminuir a diferença com a segunda colocada, a Apple.

“O mercado de smartphones está emergindo da turbulência dos últimos dois anos, mais forte e mudado”, disse Nabila Popal, diretora de pesquisa da IDC. “Embora ambos os principais players tenham registado um crescimento negativo no primeiro trimestre, a Samsung parece estar numa posição geral mais forte do que nos últimos trimestres.”

READ  “Foi o ponto alto da minha carreira.”

Fornecedor líder da Apple, Hon Hai Precision Industry Co. e Murata Manufacturing Co. e LG Innotek Co., Ltd. e TDK Corp, nas primeiras negociações asiáticas de segunda-feira, em meio a vendas generalizadas devido a temores de escalada de conflitos no Oriente Médio.

Durante a pandemia, o iPhone da Apple mostrou maior resiliência, já que os consumidores recuaram nas compras de smartphones da maioria de seus rivais com Android. Esse acúmulo de estoque levou a preços agressivos por parte de concorrentes chineses como a Xiaomi, que levaram meses para esgotar o excesso de oferta e agora estão começando a aumentar as remessas. O surpreendente retorno da Huawei à proeminência no ano passado – com seu chip fabricado na China e sistema operacional HarmonyOS na série Mate 60 – corroeu a participação de mercado premium da Apple na China desde agosto.

“O aumento da concorrência na China é responsável por grande parte do declínio da Apple no primeiro trimestre”, disse Bhopal. Em outros lugares, várias regiões começaram o ano com excesso de estoque de iPhones, após grandes remessas nos últimos meses de 2023, acrescentou ela.

Os investigadores da IDC descobriram que os preços médios de venda dos telemóveis estão a aumentar, à medida que os consumidores escolhem cada vez mais modelos premium que pretendem manter por mais tempo. A Apple, que mantém consistentemente o ASP mais elevado da indústria, tem liderado este processo, com os consumidores a mostrarem uma clara preferência pelos seus modelos mais topo de gama. No entanto, este ano a empresa recorreu a descontos invulgares para estimular as vendas, com alguns parceiros retalhistas na China a retirar até 180 dólares do preço normal.

READ  Microsoft enfrenta alerta antitruste da UE sobre acordo com a Activision, dizem fontes

Em março, a Apple abriu uma nova grande loja no centro financeiro de Xangai, com a presença do CEO Tim Cook. A China abriga a maior rede de varejo da empresa fora dos Estados Unidos e é responsável por quase um quinto das vendas, que ainda são impulsionadas pelo iPhone. No entanto, muitos dos participantes que falaram com a Bloomberg no lançamento da loja em Xangai adquiriram seus iPhones há mais de dois anos. Embora os fãs da Apple tenham dito que pretendem permanecer dentro do ecossistema da Apple, alguns disseram que também estão considerando opções de dispositivos dobráveis ​​dos concorrentes ou do sucessor do Huawei Mate 60.

O que diz a Bloomberg Intelligence?

–Com ajuda de Jessica Sui.

(Atualizações com reações e comentários de ações)

Mais lidos da Bloomberg Businessweek

©2024 Bloomberg L.P.