Uma startup da Universidade Federal de Itajubá – a UNIFEI de Minas Gerais – vai representar o país na Brazil Conference at Harvard and MIT. A SANE desenvolveu uma técnica inovadora com a aquaponia, que une a criação de peixes e cultivo de hortaliças com um sistema que monitora a qualidade da água.

Por causa desse sistema, a SANE compete no concurso das cinco melhores startups brasileiras – que são empresas novatas – para apresentar seus projetos nos Estados Unidos.

O prêmio é de 50 mil reais, além de produtos destinados ao desenvolvimento dos projetos.

Aquaponia

A técnica de aquaponia desenvolvida pela SANE combina aquicultura – criação de organismos aquáticos, como peixes e camarões -, com a hidroponia – cultivo de plantas sem a utilização de solo, na qual as raízes ficam dentro da água.

O sistema faz com que a água, carregada de nutrientes produzidos pelos peixes, seja absorvida pelas plantas que, em seguida, devolvem a água limpa para os peixes.

Os principais gastos do sistema se resumem à alimentação dos animais e à energia utilizada no bombeamento da água, o que faz da técnica uma solução com grande apelo em sustentabilidade.

Foto: Samuel Constantini/Arquivo pessoal

Produção em casa

A startup mineira pretende fazer com que pessoas interessadas no consumo de orgânicos possam ter a própria produção em casa, utilizando a aquaponia.

“Como não precisa de terra no cultivo das hortaliças, você pode produzir orgânicos até mesmo nos grandes centros urbanos. E tem o conveniente de poder criar peixes e cultivar hortaliças ao mesmo tempo”, explica Samuel Constantini, administrador da startup.

Orgânicos

A demanda por produtos orgânicos, livres da ação de defensivos agrícolas, tem crescido nos últimos anos no Brasil e já movimenta diversas feiras de produtos orgânicos pelo país.

Além de atuar na instalação dos sistemas de aquaponia, a SANE trabalha no desenvolvimento de um hardware capaz de medir as propriedades químicas da água de criação dos peixes, informando ao produtor em tempo real como estão as condições do seu tanque de criação.

“A medição das propriedades como pH, temperatura e concentração de íons é fundamental para a manutenção da vida dos peixes nos viveiros e de muita importância quando a água serve de solução hidropônica ou para irrigação de horta”, comenta Constantini.

Atualmente, a startup já trabalha para fazer o protótipo da ferramenta.

Fonte: www.sonoticiaboa.com.br