O “3º Festeju – Festival de Teatro de Jundiaí”, promove 04 a 22 de setembro mostra de espetáculos, debates, rodas de conversa e oficinas práticas. Nesta sexta (13), o festival recebe o espetáculo dramático “A Tempestade” do Teatro Artaud, do município de Atibaia, às 20h. A apresentação acontecerá no Complexo Fepasa, Av. União dos Ferroviários , 1760 – Jundiaí – São Paulo.

Sinopse: Os devaneios inconscientes de uma crise existencial e os arquétipos universais permeiam a mente e a imaginação de dois amantes que projetam no amor o preenchimento de seus espaços vazios.

Confira o espetáculo no site do 3º Festeju:
https://cultura.jundiai.sp.gov.br/evento/a-tempestade/

Imagem: Divulgação

Sobre o espetáculo “A Tempestade”

“A Tempestade” é um espetáculo experimental concebido a partir da imagem do fotógrafo surrealista Tommy Ingberg, associado a 03 anos de pesquisas intensas dos compêndios do Teatro da Crueldade de Antonin Artaud, com destaque para “O Teatro e Seu Duplo”. Impulsionado pela “Catarse” teatral, o diretor Wellington Duran conduziu seus Atores a experiências laboratoriais características do Teatro Laboratório de Jerzy Grotowski, por meio de imersões em exercícios de exaustão física, seguido da imobilidade de gestos, afim de suscitar a “escrita automática”, para composição da dramaturgia.

Imagem: Divulgação

As cenas do espetáculo nasceram de jogos dramáticos, improvisações, leituras de poemas, recortes de poesias e da apreciação estética de imagens surrealistas das pinturas de Salvador Dali e da fotografia de Tommy Ingberg. A estilização clássica dos figurinos e a sonorização composta pela trilha de Jazz, constroem o clima sombrio e taciturno do espetáculo, inspirado no Onírico de personagens arquetípicas e
repletas de lirismo e poética. O produto final chega ao ápice do Surrealismo e da Psicanálise Freudiana no momento em que as ações da peça se fundem as imagens projetadas na tela cinematográfica dando o tom estético de um espetáculo futurista e de vanguarda.

Deixe uma resposta