A Serra do Itapetinga, remanescente florestal de Mata Atlântica, abrange 4 municípios (Atibaia, Bom Jesus dos Perdões, Mairiporã e Nazaré Paulista). O seu nome foi dado pelos índios quando observaram que as rochas graníticas que afloram na montanha são da cor branca, na língua Tupi Ita quer dizer pedra e tinga significa Branco.

A Pedra do Coração, em Bom Jesus dos Perdões
A Pedra do Coração, em Bom Jesus dos Perdões (Foto: Reprodução)

O ponto mais alto da Serra é a Pedra Rachada, uma formação com duas rochas que desafiam as leis da física. Encontra-se a cerca de 1.400 metros de altitude no topo da Pedra Grande, que é um dos locais mais visitados na Serra do Itapetinga, recebendo visitantes para a contemplação da paisagem ou para atividades de esportes radicais, especialmente a prática do Voo Livre.

A Pedra Grande, em Atibaia
A Pedra Grande, em Atibaia (Foto: Reprodução)

Atualmente a Serra do Itapetinga é uma Unidade de Conservação, sendo um Parque Estadual desde 2010, com a Pedra Grande diferenciando-se na categoria de Monumento Natural, dado a sua beleza cênica e uso turístico.

Encrustado na Serra do Itapetinga também encontramos o Parque da Grota Funda, uma área florestada de propriedade do município de Atibaia onde é possível vislumbrar muito das belezas existentes na Serra.

O Parque da Grota Funda
O Parque da Grota Funda (Foto: Reprodução)

Certamente são incontáveis os atrativos quanto à fauna e a flora, mas uma das mais importantes funções da Serra do Itapetinga é a de manter um ecossistema preservado e equilibrado, atualmente a pressão antrópica nas áreas florestadas do planeta é muito grande, sendo de imensurável importância a conservação de áreas tão ricas e preciosas como esta.

Deixe uma resposta