Atibaia é uma cidade de muitas tradições, onde a arte e a cultura são vivenciadas e fazem parte da vida das pessoas. As Congadas e os grupos de viola caipira, por exemplo, resgatam um passado distante que continua vivo na memória e no dia a dia de muita gente. De forma natural e inevitável, Atibaia se transformou em um celeiro de músicos, atores, pintores e tantos outros artistas, entre eles os luthiers, artesãos que transformam madeira em instrumentos musicais.

Nossa cidade é referência na área e possui um curso que há sete anos ensina as pessoas a fabricarem instrumentos, não só violas e violões, mas também guitarras, cavaquinhos e ukulele – com pretensões, em um futuro próximo, de oferecer também curso de confecção de instrumentos ainda mais complexos, como o violino.

O trabalho desenvolvido em Atibaia, custeado integralmente pela Prefeitura, já formou mais de 300 luthiers e possibilitou a criação da Associação de Luthiers do Brasil, que tem sede na cidade e conta atualmente com mais de 200 associados. O curso de Lutheria faz parte do “CapacitAção”, programa implantado em 2013 pela Prefeitura que prepara profissionais para o mercado de trabalho, em diferentes áreas de atuação. As aulas acontecem no Centro de Formação Profissional – Unidade II, que fica na Av. Joviano Alvim, 112 (Jd. Alvinópolis).

1

No local existem espaços próprios para as atividades de lutheria, onde trabalham monitores e profissionais especializados. As aulas de lutheria são frequentadas por pessoas de diversas idades, e os mais variados objetivos e formações. Existem, por exemplo, os músicos que procuram o curso para aprender a construir e entender melhor o funcionamento de seus instrumentos; há aqueles que buscam a lutheria como forma de profissão; e aqueles que buscam um hobby, afinal, a lutheria, com suas características artesanais, é considerada uma terapia, um modo de sensibilizar e ativar novos sentidos.

O curso possui aulas para turmas “básicas” e “avançadas”. Nas aulas básicas, o aluno aprende a fabricar seu violão ou sua viola, que são instrumentos menos complicados de se confeccionar. Ao todo, o curso tem 85 horas, sendo 4h/aula por dia, uma vez por semana. Cada aluno recebe o material básico, em madeira, e as ferramentas – todos disponibilizados pela Prefeitura. Já no curso “avançado”, o aluno pode construir instrumentos mais complexos, como o violão de sete cordas, podendo aprimorar sua técnica.

Importante destacar o fator “geração de renda” do curso de lutheria. No curso “básico”, os alunos se tornam aptos a realizar a manutenção e conserto de instrumentos. Já no “avançado”, aprendem a arte da restauração, um trabalho que exige experiência e especialização.

3

No início, o curso de lutheria foi criado para atender o público de baixa renda, que via nele uma possibilidade de aprender um ofício e gerar renda. Aos poucos, a Prefeitura identificou a procura cada vez maior e, aos poucos, foi incrementando a infraestrutura das instalações e aumentando os investimentos nas aulas. Hoje, além de ser um curso de capacitação, focado na geração de renda, o curso de lutheria oferece uma atividade artística e lúdica, que possibilita o convívio social de pessoas das mais diferentes classes sociais, gênero e idade.

Os primeiros passos do curso de lutheria da Prefeitura foram dados com ajuda de profissionais competentes e desprendidos, dispostos a dar sua contribuição para o desenvolvimento do projeto. É o caso do luthier e músico profissional Hugo, que hoje é um dos professores e monitores do curso, diretor da Associação de Luthiers do Brasil. O casal Mele e Mário também faz parte desse processo e tem, hoje, a função de coordenar as aulas nas diversas turmas. Há também outras figuras de destaque – e não menos importantes – como Maurício, Claudinei e Ismael. “Todos fizeram e fazem parte dessa história. Cada um fez sua contribuição, à sua maneira”, contou o coordenador de Emprego e Renda, Marcos Melo, um dos idealizadores do curso de lutheria.

2

Novidade

Uma das novidades deste ano é o início das aulas de “cigar box guitar”, voltadas ao público jovem (entre 14 e 18 anos). Trata-se de uma etapa inicial do curso de lutheria, de modo que os alunos, ao concluí-lo, possam seguir com outros cursos, como de fabricação de viola, violão, cavaquinho, guitarra e ukulele.

As “cigar box guitar” são guitarras que têm esse nome pelo fato de seu corpo ser parecida com caixas de charuto. É um instrumento rústico que surgiu na época da Guerra Civil Americana, e se popularizou nos anos 30 em virtude da Grande Depressão. Ainda há vagas disponíveis e os interessados podem se inscrever no PAT – Posto de Atendimento ao Trabalhador.

O curso está previsto para começar em abril.

4

Fonte: Prefeitura da Estância de Atibaia