“Te Faço Nascer Livre” reúne oito dezenas de obras do acervo da Casa da Cultura da América Latina da UnB. A mostra, aberta desde 24 de setembro, segue em cartaz até 22 de novembro na CAL. Pertencente à Universidade de Brasília, o acervo da Casa da Cultura da América Latina atualmente reúne 2.700 peças. As diferentes coleções que constituem o acervo abrigam obras de arte, arte popular e objetos etnográficos.

Foto: Paulo Cheida Sans (Reprodução)

A mostra parte da ideia de misturar as peças, provocando aproximações e diálogos entre objetos etnográficos, trabalhos de produção popular e obras de arte contemporânea. A exposição faz parte do projeto de extensão contínuo “Curadorias Visíveis”. Voltado para a reflexão sobre o acervo da instituição como meio de formação de estudantes, o projeto é proposto e orientado pela professora do Departamento de Artes Visuais da UnB Cinara Barbosa, que atendeu ao convite de Alex Calheiros, diretor da CAL. Nesta segunda edição do programa, os curadores e pesquisadores são alunos do curso de Teoria, Crítica e História da Arte da UnB.

Entre as obras mostradas estão gravuras de Paulo Cheida Sans, curador do Museu Olho Latino, destacando-se a linogravura “Dominantes e Dominados” de 1995, feita na ocasião em que o artista participou como curador e expositor em mostras na CAL. Estão também expostas uma boneca de cerâmica produzida pela etnia Karajá e uma máscara ritual da tradição dos povos Wayana e Aparai. Também faz parte da exibição uma série de desenhos vinda do México, de autoria desconhecida e datação igualmente desconhecida, feita sobre um tradicional suporte chamado amate (tipo de papel elaborado a partir de cascas de árvore).

Destacam-se também produções de dois históricos professores da UnB: o pintor carioca Milton Ribeiro (1922-2013) e a gravadora mineira Stella Maris (1946-2001). O primeiro foi trazido para a universidade por Darcy Ribeiro. A segunda foi responsável pela criação do ateliê de xilogravura do Instituto de Artes. Mais de duas centenas de obras de Ribeiro foram deixadas sob a guarda da instituição. E a família de Stella doou sua coleção de arte à CAL.

Foto: Vista parcial da mostra (Reprodução)

O nome desta exposição também está ligado a uma personagem da UnB. Te Faço Nascer Livre remonta a texto que Laís Aderne (1937-2007) escreveu em 1987 quando da criação da Casa da Cultura da América Latina. Professora e artista de marcante atuação no cenário brasiliense das artes cênicas e visuais, Laís Aderne enxergava a CAL como polo de afinidades e identidades transnacionais.

“Te faço nascer no meio das brumas, para que seja brilhante o porvir de meu povo. Te faço nascer no planalto, para localizar-te no coração de minha terra. Te faço nascer hoje em Brasília para que sejas a CASA de encontro de todos os meus irmãos. Te faço nascer para que sejas, e que nos faça ser… LIVRE, América Latina.” (Laís Aderne, 1987).

A mostra pode ser visitada até 22 de novembro, das 9h às 19h, na Casa da Cultura da América Latina da Universidade de Brasília no Setor Comercial Sul, Quadra 4, Edifício Anápolis, em Brasília, DF. Entrada franca.

Imagem: Divulgação

Serviço

Exposição: Te Faço Nascer Livre
Local: Galerias CAL e Acervo da Casa da Cultura da América Latina da UnB
Endereço: Setor Comercial Sul, Quadra 4, Edifício Anápolis, Brasília-DF
Abertura: 24 de setembro (terça-feira), às 19h
Visitação: 25 de setembro a 22 de novembro de 2019, diariamente, das 9h às 19h
Entrada franca
Ficha técnica
Orientação: Cinara Barbosa
Coordenação geral: Luana Pires
Curadoria e Pesquisa: Renata Reis e Victor Zaiden
Assistência de Curadoria e Pesquisa: Maria Carolina e Ludmylla Barbosa
Curadoria e Montagem: Raylton Parga e Sarah de Melo
Curadoria e Produção: Ana Lara Oliveira Simão, Luana Pires, Ludmylla Barbosa e Priscila Coser
Curadoria e Educativo: Ludmylla Barbosa
Curadoria e Comunicação: Bernardo Scartezini e Giovanna Pereira

Expositores:
Paulo Cheida Sans, Patrícia Ayala, Nelson Maravalhas, Milan Duzek, Maciej Babinski, Antunes Arantes, Bia Medeiros, Clóvis Graciano, Bábi Franca, Charlote Gross, Cláudia Sperb, Eliete Villela, Evandro Salles, Francisco Galeno, Hugo Pistilli, Lívio Abramo, Zé do Carmo, Paquinha, Milton Ribeiro, Delamar Monteiro, Tita Guedes, Patrícia Faria, Terezinha Picoli, Clara Barreiro, Paulo Couto (Pulika), Rosângela Roosevelt, Stella Maris, Yara Tupinambá e Zeila Navarro Swain.

Informações à Imprensa: Paulo de Tarso Cheida Sans

Deixe uma resposta