Atire a primeira pedra quem não gosta de comprar roupas por uma pechinca! Por trás dos preços baratos oferecidos pelas lojas, no entanto, muitas vezes há tristes histórias de trabalho escravo. São pessoas que trabalham horas e horas, em condições desumanas, para ganhar centavos. Afinal, em algum momento da cadeia, as marcas de roupa lucram para poder oferecer descontos aos clientes. Já parou para pensar sobre isso?

Os consumidores de Berlim, na Alemanha, foram forçados a refletir a respeito do assunto, graças a uma pegadinha feita pela ONG Fashion Revolution, que busca combater o trabalho escravo na indústria da moda em mais de 70 países ao redor do mundo.

A ONG instalou, no meio da rua, uma vending machine que ofertava, aos pedestres que passavam, camisetas por, apenas, 2€ (cerca de R$ 7). Animadas com a promoção, várias pessoas pararam para efetuar a compra. Eis que um vídeo, exibido pela máquina de vendas, mostrou aos consumidores como as roupas haviam sido confeccionadas: por menores de idade, que trabalham cerca de 16 horas por dia, para ganhar 13 centavos por hora.

Você teria coragem de comprar uma roupa feita nessas condições? Os consumidores vítimas da pegadinha da Fashion Revolution não tiveram. E mais: muitos deles decidiram doar os 2€, que estavam dispostos a gastar com a camiseta, à ONG para ajudar no combate ao trabalho escravo na indústria da moda. Assista ao vídeo da ‘pegadinha do bem’, abaixo.

 

Assinado: João Manoel Suano Bezerra de Meneses.

Fonte dos dados: fashionrevolution.org