Com 828 hectares de extensão, cinco praias, natureza exuberante e uma grande biodiversidade, o Parque Estadual Ilha Anchieta é a segunda maior ilha do Estado de São Paulo. Administrado pela Fundação Florestal, o PEIA proporciona aos visitantes um passeio cheio de encantos, mesclando o mar, a Mata Atlântica, a cultura e a história. Praias belíssimas, trilhas ecológicas, passeios pelas ruínas do antigo presídio e um dos melhores pontos para mergulho do Brasil são alguns dos atrativos desta importante Unidade de Conservação.

Foto: Ilha Anchieta (Revista Atibaia Connection)

O Parque Estadual Ilha Anchieta, em Ubatuba, completou 41 anos no dia 29 de março de 2019 como Unidade de Conservação, porém sua história remonta à toda história do Brasil, já que este local fora ocupado por etnias indígenas importantes nesta interlocução, bem como por portugueses, franceses, holandeses, dentre outros europeus.

Venha conhecer o Parque Estadual Ilha Anchieta!

Foto: Ilha Anchieta (Revista Atibaia Connection)

Como Chegar

O acesso à Ilha Anchieta pode ser feito por intermédio de empresas credenciadas que levam grupos de turistas em escunas (grupos de até 150 pessoas) e barcos exclusivos para passeios mais demorados que abrangem uma gama de entretenimento muito maior.

Foto: Rota do Surf

As escunas são lentas, e param apenas 40 minutos em duas praias, com acesso difícil à terra firme. Já o acesso com lanchas é muito mais rápido, prático, lhe permite desembarcar no pé das praias, além de ter um custo-benefício mais vantajoso.

Para tal, a Rota do Surf em Ubatuba oferece os melhores roteiros para visitação completa ou parcial da Ilha Anchieta, dentre diversos outros roteiros em toda Ubatuba. “Das praias do norte às praias do sul, o grande segredo é saber entender a necessidade dos turistas, oferecendo uma experiência harmônica onde há um contato real com a natureza e todas as atrações que Ubatuba tem a oferecer”, explica Rosana, publicitária, fotógrafa e sócia-proprietária da Rota do Surf.

Foto: Rosana e Dhiego, proprietários da Rota do Surf (Revista Atibaia Connection)

Com valores acessíveis e melhor custo-benefício, a Rota do Surf se preocupa com a segurança e com a experiência de seus clientes, oferecendo pacotes de roteiros clássicos na região, bem como pacotes sob medidas para mergulhadores e aventureiros. Além disso a empresa tem parceria para locação de casas em Ubatuba, para facilitar a vida de quem sabe que merece uma boa experiência. Agende um orçamento através dos telefones:   

Rosana – (11) 94208-8398 / Dhiego (12) 99710-1919

Acesse a página da Rota do Surf no Facebook:
https://www.facebook.com/Passeios-de-Lancha-Rota-Do-Surf-Ubatuba-159553518195222/

Praias da Ilha Anchieta

Praia do Sul

Foto: Praia do Sul (Revista Atibaia Connection)

Com águas límpidas de ótima visibilidade, esta praia é escolhida pelos adeptos do turismo ecológico e do mergulho. Sua natureza virgem pode ser visitada e apreciada em toda a exuberância da Mata Atlântica e suas espécies de fauna e flora. Vale a pena lembrar que esta praia e toda a ilha são preservadas por leis estaduais que impedem qualquer tipo de caça ou pesca, mas só a beleza que ela oferece vale o passeio. Possui ainda uma trilha que leva à Praia do Presídio.

Praia das Palmas

Praia das Palmas (Revista Atibaia Connection)

Para os que buscam tranquilidade, a Praia das Palmas é uma ótima opção. Suas areias claras, águas límpidas e selvagem Mata Atlântica compõem um belíssimo cenário natural. Praia de mar calmo, possibilita o atracamento de embarcações, uma ótima opção para curtir a natureza. Sendo a maior praia da ilha, fica cerca de 15 minutos de trilha da Praia do Presídio, em caminho de terra batida e de fácil acesso.

Foto: Praia das Palmas (Revista Atibaia Connection)

Praia do Presídio

Esta é a principal praia da Ilha Anchieta, sendo historicamente o local onde ficava a vila administrativa do antigo presídio. Sua beleza impar não perde em nada para as outras praias da ilha, sendo um local obrigatório de parada para quem visitar esse paraíso. A taxa de visitação da ilha em 2019 é de R$15,00 e é destinada a manutenção da mesma, gerida pela Fundação Florestal do Estado de São Paulo.

Foto: Praia do Presídio (Revista Atibaia Connection)

Hoje o presídio que foi utilizado pelos presos e parte de sua estrutura estão em ruínas. O local é preservado como relíquia histórica do Brasil, e nele são realizados passeios onde monitores treinados levam o turista a viajar por um importante capítulo da história brasileira.

Praia do Engenho

Foto: Praia do Engenho (Revista Atibaia Connection)

A menor e mais pitoresca praia da Ilha Anchieta, é também acesso de algumas embarcações que levam à Praia das Palmas. É também excelente para banho e vale a pena sua visita.

Praia de Fora e Praia do Leste

Foto: Praia de Fora e Praia do Leste (Revista Atibaia Connection)

Praias pequenas de águas límpidas, boas para banhos e mergulhos. Aqui, como em toda a Ilha, você tem a oportunidade de curtir o sossego da natureza. O acesso pode se dar por trilhas a partir da Praia das Palmas e Praia do Presídio.

Trilhas ecológicas

Foto: Trilha na Ilha Anchieta (Revista Atibaia Connection)

A Ilha Anchieta possui trilhas que constituem um imperdível contato com a Mata Atlântica e suas belas praias. Ao desembarcar na ilha, o turista encontra monitores credenciados que acompanham os grupos por essas trilhas; elas só podem ser percorridas com a assistência destes.



Trilha do Saco Grande

A caminhada começa na Praia do Presídio, percorrendo uma área direcionada a estudos e pesquisas, e segue em direção a um antigo quartel, onde foram mortos soldados e civis na rebelião de 1952. A vegetação está se regenerando e ocupando as casas da antiga vila militar, trazendo de volta os primeiros moradores da mata. Ao final da trilha no costão rochoso deparamos com um mirante das ilhas da região e do mar aberto. Em dias claros é possível avistar tartarugas marinhas em seu habitat natural.

Foto: Ilha Anchieta (Revista Atibaia Connection)



Trilha da Praia do Sul

O caminho já era utilizado antigamente pelos pescadores e moradores da região. Hoje a trilha é usada como pontos interpretativos da Mata Atlântica, Restinga, lendas, histórias e grande variedade de fauna que é fonte de estudo para as escolas que visitam a ilha. No meio da trilha há um mirante com vista para toda a Enseada das Palmas. A praia do Sul com sua água cristalina e abundante vida marinha é um convite para o mergulho livre.

História da Ilha Anchieta

Foto: Presídio da Ilha Anchieta (Revista Atibaia Connection)

Logo após o descobrimento do Brasil, por volta de 1550, a Ilha Anchieta era habitada pelos índios Tamoios e Tupinambás. Eles chamavam a ilha de Tapira, traduzido como “lugar calmo”. Os Jesuítas missionários José de Anchieta e Manoel da Nóbrega conseguiram uma aproximação amistosa com os Tupinambás, que resultou no famoso Tratado da Paz de Iperoig, firmado em 1563. A partir daí os portugueses puderam ter mais tranquilidade para a ocupação da colônia.

Foto: Presídio da Ilha Anchieta (Revista Atibaia Connection)

Foi iniciada então a ocupação da ilha, não só por portugueses, mas também holandeses, franceses e outros europeus. Viviam basicamente da pesca e da agricultura. Aos poucos o povoado da ilha foi se desenvolvendo, ganhando uma pequena igreja, vendo crescerem pequenos negócios e até um cemitério foi construído. Em 1885, a Ilha passou a ser denominada Freguesia do Senhor Bom Jesus da Ilha dos Porcos.

Foto: Presídio da Ilha Anchieta (Revista Atibaia Connection)

Em 1902 a Ilha era mais conhecida como Ilha dos Porcos, quando nela foi construída uma Colônia Penal. Para tanto, foram desapropriadas cerca de 412 famílias. Esta colônia viria a ser desativada em 1914, com os presos sendo transferidos para presídios de Taubaté; mas, em 1928 foi reativada para abrigar os presos políticos do período da ditadura de Getúlio Vargas. Nesta época, além dos habitantes originais, passaram a morar na ilha os soldados e seus familiares.

A Ilha dos Porcos passou a ser denominada Ilha Anchieta em 1934 como parte das homenagens ao quarto centenário do nascimento do Padre José de Anchieta.

Foto: Ilha Anchieta (Revista Atibaia Connection)

Em 1942 a antiga colônia penal se transformou no Instituto Correcional da Ilha Anchieta. As celas foram construídas de modo a formar um pátio retangular. Era nesse pátio que os presos se reuniam, tendo em volta as celas onde ficavam confinados cerca de 453 presos, todos de alta periculosidade. 

Foto: Presídio da Ilha Anchieta (Revista Atibaia Connection)

Em 1952 é deflagrada uma rebelião, numa batalha sangrenta entre presos e policiais. Diversas guarnições se deslocaram para a Ilha, contendo a rebelião. Foram recapturados 129 presos; alguns, possivelmente tenham conseguido fugir em canoas.

Foto: Presídio da Ilha Anchieta (Revista Atibaia Connection)
Foto: Presídio da Ilha Anchieta (Revista Atibaia Connection)

Hoje em dia, a Ilha Anchieta mudou totalmente seu perfil, passando a ter sua fauna, flora e riquezas históricas protegidas pelo Parque Estadual da Ilha Anchieta. Na sede do parque encontramos muitas informações e painéis fotográficos, monitores de turismo para trilhas ecológicas e culturais, e a pequena capela, totalmente restaurada. As instalações do antigo presídio, em ruínas, atraem o público para viver a atmosfera onde aconteceram importantes fatos para nossa história. Além dos turistas, mergulhadores, pesquisadores e outros estudiosos procuram a Ilha Anchieta durante todo o ano.

Imagem: Divulgação (Rota do Surf)

Fonte: Fundação Florestal do Estado de São Paulo e Guia do Litoral Norte

Deixe uma resposta