Não há muito tempo, os prédios comerciais e escritórios apresentavam estruturas claras quanto ao número de eixos. A estrutura para o diretor ou gerente seria de um tipo, enquanto para um mero funcionário ela seria de outro. Quando as janelas passaram a se apresentar em formas de tiras, as hierarquias estéticas foram abandonadas.

Hoje, nos tempos contemporâneos, é possível que a fachada de um edifício comercial ou de uma casa seja completamente homogênea e transparente, o que confere à construção uma estética moderna e até mesmo futurista. Ao mesmo tempo, as necessidades individuais devem ser estudadas e reconciliadas ao desejo do conforto e de um maior aproveitamento da luz natural.

Analisando as mudanças que vêm acontecendo no mundo, os arquitetos Giselbrecht e Partner projetaram fachadas dinâmicas que podem ser adaptadas de acordo com as mudanças e condições climáticas, moldando-se às necessidades específicas. O conceito inteligente também proporciona uma otimização programada que pode ser controlada à distância, caso os utilizadores não estejam presentes no cômodo. Isso proporciona a existência de novas fachadas transparentes sem que se abra mão de uma atmosfera acolhedora em todos os quartos.

O edifício Kiefer Technic Showroom, na Áustria – projetado pelos dois arquitetos – é um exemplo disso. As fachadas cinéticas mudam continuamente. Cada dia, cada hora e cada clima confere à fachada uma cara diferente, o que a transforma também em uma escultura dinâmica. Os módulos individuais da Kieger Technic Showroom podem ser abertos e fechados em diferentes graduações. Se levada às residências no futuro, essa tecnologia poderá conferir aos habitantes infinitas possibilidades da vista que o exterior da casa oferece.

 

 

Fonte: sejalivre.org; e-architect.co.uk