Alimentar o animal de estimação com a dieta mais saudável ditada pela moda pode mostrar o amor que o dono sente pelo filho de quatro patas. No entanto, pode trazer sérios riscos de patologias nutricionais, ocasionando lesões e até a morte do animal, a depender da gravidade do caso. Esse alerta foi feito pelo Dr. Fabio Teixeira em sua palestra no primeiro dia do Animal Health Expo+Congress 2019.

Foto: Reprodução

O evento, o primeiro no Brasil a ser 100% Vet, ocorre entre os dias 2 e 4 de outubro, no Expo Center Norte (Pavilhão Amarelo), em São Paulo.
Com várias especializações, mestrado e doutorado em nutrição clínica de cães e gatos, o Dr. Fabio finalizou o Simpósio com a palestra ‘Riscos nutricionais da alimentação inadequada aos cães e gatos’. Na sua apresentação, o médico-veterinário apresentou três casos de cães criados por famílias com uma situação financeira confortável para comprovar que a renda não é necessariamente o problema.

Em todos os casos, ele mostrou o perigo que o tutor expõe o animal por não obedecer a dieta feita por profissionais ou adotar uma dieta preparada para humanos, como a vegetariana ou a vegana. “Mais inseridos na família, cães e gatos passam a receber as mais variadas possibilidades de dietas. Normalmente, na cabeça do proprietário ingredientes naturais são melhores. Porém, animais que recebem alimentação caseira estão sob o risco permanente”, pontuou.

Foto: Reprodução

O hábito de não dar ração tem feito com que doenças que já haviam desaparecido e consideradas raras voltassem ao mapa patológico atual. É o caso da Hiperparatireoidismo (excesso do hormônio paratormônio, responsável pelo equilíbrio do cálcio, vitamina D e fósforo presente no sangue e nos tecidos que precisam desses nutrientes, como os ossos) ou da Osteopenia (perda da massa óssea). “Essas doenças antes ocorriam porque os animais de estimação normalmente eram alimentados com restos de comida de humanos e sofriam de deficiência de nutrientes”, explicou.

Estudo realizado na capital e no interior de São Paulo mostra que o hábito de alimentar o pet com dietas consideradas saudáveis tem aumentado. Na capital, 50% dos consultados afirmaram usar a dieta de alimentos naturais e 89% achava ser fácil. Desses, 60% mudavam a composição preparada pelo veterinário. “A retirada de suplementos prejudica e muito. A introdução de ingredientes saudáveis para a dieta humana está repercutindo em doenças nutricionais”, alertou.

Foto: Reprodução

Segundo ele, uma boa dieta inclui de 35 a 45 nutrientes essenciais dependendo do animal e em que fase fisiológica ele está. “O Journal of Nutrition Science fez um estudo sobre as receitas de dietas naturais para animais e verificou que, de 82 receitas disponibilizadas em português, nenhum supria a necessidade nutricional que os cães precisam. Ou seja, é importante não cair em modismos. Ingredientes não são nutrientes quando se trata de animais”, finaliza o especialista.

1.ª Animal Health South America
Data: 2 a 4 de outubro
Horário: Congresso: das 8h30 às 19h30 / Exposição das 10h às 20h
Local: Expo Center Norte (Pavilhão Amarelo) – São Paulo

Informações de: C
Renata Passos
[email protected]
+55(11) 97311.9500

Valeria Bursztein
[email protected]
+55(11) 99104.2031

Deixe uma resposta