Ele já pintou o retrato de ex-presidentes da Casa de Leis, que estão no plenário. Artista plástico autodidata, nascido em Pacaembu (SP), Wagner Piracaia expõe agora na antessala do plenário da Câmara quadros com retratos e paisagens. Os trabalhos foram emprestados por amigos e compradores, porque sua obra se desenvolve por encomenda.

A exposição “Cotidiano: retrato e paisagem” é a segunda exposição que Wagner faz na Câmara de Atibaia. A primeira foi em 2007, cuja ênfase estava nos trabalhos religiosos. O artista, que é letrista de profissão, já expôs também nas Câmaras de Bragança e de Piracaia, onde mora desde a adolescência. Pintura a óleo e escultura estão entre suas habilidades artísticas.

A mostra de Atibaia começa com duas paisagens, uma da Freguesia do Ó, na Capital, e de um armazém paulista. Comprovando o domínio do traço e do detalhe, os retratos trazem a imagem de seu filho Alef, que também é artista, de uma mãe com bebê no colo, de uma menina em grande close e de uma freira lendo.

Wagner (nome civil Wagner Luis Melo da Silva) vive exclusivamente da arte. Seus primeiros trabalhos foram com desenhos a lápis. Nunca fez curso nem estudou arte formalmente, aprendeu nas ruas. Como destaques de sua carreira, estão a restauração e a pintura dos Papas no teto da Igreja de Piracaia, a pintura do Bar O Convento e a religiosa Madre Tereza de Calcutá. O artista que o inspira é o surrealista Salvador Dali. Seu maior quadro foi “Jesus Ressuscitado”, de 4 m x 2,40 m, e o de maior significado para ele foi “O Trocadilho”, que retrata música de Raul Seixas.

A exposição, que é uma iniciativa do Departamento de Comunicação, pode ser visitada na Câmara (avenida Nove de Julho, 265, centro), de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, até março. 

Fonte: Ass. Imprensa Câmara Municipal de Atibaia