O circuito de ocupações // Paralela continua aberto ao público na Casa Lebre. As obras podem ser visitadas de terça à sábado das 14h as 18h e, também, nas programações culturais, durante todo o mês de julho.

Foto: Vanessa Consolim

No espaço, estão expostos desenhos de Marina Tasca, instalação de Paulo Fehlauer e vídeo de Camille Emma Bonnenfant. A bragantina Marina Tasca é  graduada em Artes Visuais pela EBA/UFMG. Aplica-se ao estudo e prática do desenho como forma de elaboração poética, abordando o tema dos sonhos e da imaginação em sua pesquisa.

Paulo Fehlauer é fotógrafo, escritor e artista visual. Graduado em Jornalismo pela ECA-USP e pós-graduado no Instituto Vera Cruz, é hoje mestrando em Letras pela UNIFESP, com pesquisa sobre as contaminações entre literatura e fotografia. Como artista visual, é cofundador do Coletivo Garapa, que desde 2008 desenvolve um reconhecido trabalho de pesquisa autoral, com obras em acervos como o do Instituto Moreira Salles e MAM-SP, e vencedor de prêmios como o Diário Contemporâneo de Fotografia e a Bolsa ZUM de Fotografia. Publicará em 2019 o seu primeiro romance.

Foto: Vanessa Consolim

Camille Emma Bonnefant é formada pela Universidade de Paris III, Sorbonne-Nouvelle, em Artes Cênicas. Dedicou mais de 15 anos à pesquisa do movimento e da força da palavra. Experimentou muitas danças: as de tradição oriental, as de origem persa e egípcia, e algumas de matrizes africanas, como a capoeira.

Em sua sua obra, provoca o encontro de todas por meio da linguagem contemporânea. Os suportes artísticos variam, mas os questionamentos giram em torno das interseções entre o mundo natural e a nossa humanidade. Como os diferentes seres vivos podem se fortalecer e participar de uma transformação mútua?

Foto: Vanessa Consolim

Além destas obras, que compõe o circuito interno da Lebre, outras podem ser visitadas no entorno da casa: fotografias  de Ilana Bar-Nissim Wirgues, no estacionamento da EM Profa. Maria das Graças Palombello, grafite de André Mogle, na Rua Nicola Ortenzi, poema de Vana Campos Rocha, na escada do trenzinho, lambe-lambes de Cybelle Sereia nas imediações do espaço cultural e ainda, fotografias de Claudio Edinger  em  outdoors espalhados pela cidade.

A Casa Lebre fica na Rua Nicola Ortenzi, 104, em Bragança Paulista. A visitação das obras é gratuita e aberta ao público de todas as idades.

Foto: Hector Dubard

Informações à Imprensa: Shel Almeida, Jornalista e Ass. de Comunicação

Deixe uma resposta