Uma boa maneira de se começar uma pequena horta em casa é reaproveitando raízes de hortaliças e sementes de frutas. De acordo com José Antonio Alberto da Silva, pesquisador da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, que atua na Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), as sementes de pitanga, jaca, abacate, manga, jabuticaba, melancia, abóbora, tomate, pitaya e maracujá podem ser aproveitadas para a geração de novas fruteiras, além de aproveitar as raízes que veem em maços de salsinha, alface, chicória, almeirão e cebolinha.

Foto: Reprodução

Como iniciar uma horta?

As raízes das hortaliças e as sementes das frutas podem ser plantadas em embalagens recicláveis como as cartonadas usadas em leite tipo longa vida e garrafas pet. Tais recipientes devem ser preenchidos com terra boa para a formação das mudas, que após crescerem, podem ser transplantadas para vasos maiores.

Para um bom desenvolvimento das plantas é importante o preparo do vaso, a começar pelo sistema de drenagem:

  • Coloque no fundo do vaso uma camada de 3 a 5 cm de argila expandida ou pedra brita, tomando o cuidado para não obstruir os furos de drenagem no fundo do recipiente;
  • Insira um pedaço de manta acrílica para paisagismo (Bidim), cobrindo bem toda a argila ou brita;
  • Coloque de 2 a 3 cm de areia grossa, de rio ou construção. Isso vai evitar que o excesso de água saia com a terra e manche o piso da sua casa.
  • Preencha o recipiente com terra preparada, rica em matéria orgânica. “O Ideal é usar aquelas preparadas com terra vermelha, esterco curtido ou composto orgânico, casca de pinus decomposta, calcário e fósforo”, afirma o pesquisador da APTA.
  • Distribua as sementes e faça a cobertura com o mesmo substrato sem enterrar demais. As sementes maiores devem ficar um pouco mais enterradas. As menores, apenas polvilhe bem o substrato.
  • Molhe levemente, diariamente e sem excessos, lembrando que tanto o excesso como a falta de água são prejudiciais. Coloque o dedo na terra e assim você irá sentir e calibrar a umidade.
  • A quantidade de plantas por vasos vai depender do tipo de planta a ser cultivada. Informe-se sobre o porte da planta e defina o espaçamento suficiente entre elas. Observe também, qual o hábito de crescimento, se é rasteira, como abóbora, melão e melancia; arbustiva, como pimentas, pimentão, berinjela, jiló, quiabo, romã, acerola e pitanga; ou trepadora, como tomate, pepino e vagem, que precisam de estacas de suporte. Pitaya, maracujá e abóboras podem ser cultivadas em pergolados.
  • Cuide bem da sua horta e jardim. Não deixe água parada para não ter criadouro de mosquito da dengue.
Foto: Reprodução

Verduras

Algumas verduras como almeirão, alface, chicória e condimentos como salsinha e cebolinha chegam à sua casa em maços, ainda com as raízes, principalmente as cultivadas em sistema hidropônico. Neste caso, retire as mudas cortando uns três dedos acima das raízes; separando as mudinhas que podem ser plantadas em canteiros, jardineiras, vasos e cuias em paredes verdes, podendo formar uma horta suspensa ou jardim vertical. Logo elas começarão a emitir novas folhas em um novo ciclo de produção e estarão prontas para serem consumidas em saladas.

Foto: Reprodução

Frutas

Escolha frutos que têm aparência saudável e que estejam bem maduros. Retire as sementes, lave-as em água corrente para retirar a polpa e mucilagem. Deixe escorrer e disponibilize as sementes para secar sobre folhas de papel ou jornal, em local sombreado e com boa circulação de ar. Revolva as sementes periodicamente para não grudarem e a secagem ser mais homogênea. Assim que ficarem secas, as sementes podem ser plantadas ou guardadas.

O pesquisador da APTA alertas que algumas espécies chamadas recalcitrantes necessitam ser plantadas logo após a retirada da polpa, senão ressecam demais e morrem, como é o caso do abacate, jaca, pitanga, jabuticaba, manga e abiu. Outras, como sementes de pimentas, tomate, pinha, maracujá, pitaya e melancia podem ser guardadas em sacos de papel em local fresco, por algum tempo. A abóbora também pode ter a semente guardada por mais tempo em sacos de papel.

Foto: Reprodução

A dica de Silva é que as sementes sejam retiradas de frutos bem maduros, já prestes a apodrecer. “Se não estiverem assim, as sementes não estão maduras fisiologicamente, daí não germinam e apodrecem. A maioria das frutas quando maduras estão com as sementes prontas para germinação, no entanto, entre as olerícolas, a maioria são comercializadas e consumidas ainda verdes fisiologicamente e as sementes não estão prontas para germinar”, alerta.

O pesquisador explica que isso não impede que se adquira sementes selecionadas já prontas para o plantio, que são facilmente encontradas para venda em grande diversidade de espécies. “É preciso que o cultivo seja feito em local com luz, água, boa terra, boas sementes e mudas. Esta é uma boa forma de aliviar a tensão e o estresse”, afirma o pesquisador da APTA.

Informações de: www.thegreenestpost.com

Deixe uma resposta